Chico Aviz

Francisco Aviz

Lênin e o leninismo: em defesa de suas lições

O marxismo é uma ciência. Dialética, em movimento. Essa ferramenta de compreensão totalizante da vida é desenvolvida historicamente por revolucionários que se prestaram, não somente a interpretar o mundo de diferentes maneiras, mas a transformá-lo. A ciência proletária não serve para construir mitos e ícones inofensivos. Ao contrário das adulterações feitas pela camarilha de Stalin, Vladimir Ilyich Ulyanov, o Lênin, não foi um quadro na parede, mas um dos arquitetos mais brilhantes do materialismo histórico-dialético, capaz de demonstrar a possibilidade da produção de um novo mundo, baseado no comunismo internacional.

Leia Mais »

Os crimes do “Invasão Zero” e da Polícia Militar matam indígenas na Bahia governada pelo PT

Governado pelo Partido dos Trabalhadores, o estado da Bahia possui a Polícia Militar que mais mata no Brasil (Anuário Brasileiro de Segurança Pública, 2023) e, logo no início de 2024, tem sua população afetada com outra ação assassina, com a anuência do braço armado do Estado. Trata-se da ação do …

Leia Mais »

Os 215 corpos em vala comum no Mississipi: capitalismo, racismo e suas prisões

A cidade de Jackson, no estado do Mississipi, sul dos Estados Unidos, é o município com a maior quantidade de negros do país (censo de 2020), apontando mais de 80% de negros! Não inocentemente, neste local, 215 corpos foram encontrados em sepulturas intencionalmente não identificadas, atrás da prisão central da …

Leia Mais »

Flávio Dino, o STF e o comunismo

Na última quinta-feira (14/12), o ex-ministro da Justiça e da Segurança Pública, Flávio Dino, teve sua indicação para o Supremo Tribunal Federal (STF) aprovada pelo Senado. Dino foi muito bem recebido no Tribunal pelo presidente, Luís Roberto Barroso, e pelos atuais ministros Alexandre de Moraes, André Mendonça e Cristiano Zanin, tendo sua posse marcada para a segunda quinzena de fevereiro de 2024. Para além dos detalhes jurídicos, vivemos a conjuntura onde “comunismo” está na boca do povo, principalmente da juventude com ódio e horror do capitalismo. Então, ao tentar deseducar a classe trabalhadora quando fala, em rede nacional, que está “feliz” por poder indicar um “comunista” ao STF, mesmo tendo total noção que Dino não o é, Lula nos auxilia – aos verdadeiros comunistas.

Leia Mais »

União Nacional: Lula, o Exército e a falsificação histórica

Na Cerimônia de 7 de Setembro de 2023, o governo Lula-Alckmin convocou para Brasília militares indígenas das etnias Tariano, Kuripaco, Baré, Kubeo, Yanomami e Wanano. Em sua conta oficial do Instagram, o presidente afirmou com orgulho - acionando a pauta identitária e a agitação ufanista - que: “O Exército brasileiro tem origem indígena”, seguida da saudação dos militares em suas línguas originárias. Na aparência, essa ação divulga “representatividade”, “respeito” e “inclusão” aos povos originários, massacrados com mais intensidade durante o mandato de Bolsonaro. Porém, na essência, essa posição oficial do governo Lula nada mais é que uma reprodução da falsificação historiográfica e do mito da “três raças” promovida, inicialmente, pelas Escola Militar do Realengo e a Escola Militar da Praia Vermelha e, atualmente, pela Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), em Resende, no Rio de Janeiro - in stituições de ensino superior dos oficiais de carreira das Armas do Exército, que desenvolveram a historiografia do Estado nacional e de suas forças de repressão.

Leia Mais »

A ocupação e o controle operário pelos Cordões Industriais na Revolução Chilena (1970-1973)

Em 11 de setembro completam-se 50 anos do golpe imperialista aplicado pelas Forças Armadas chilenas contra o governo reformista da Unidade Popular (UP) dirigido por Salvador Allende. Este trágico evento para o proletariado latino-americano precisa ser sempre recordado não apenas para honrar a memória dos que tombaram lutando por um novo mundo, mas também para aprendermos com o processo anterior ao golpe, a revolução chilena de 1970 a 1973.

Leia Mais »

“Sempre que havia uma reivindicação dos trabalhadores, lá estavam os marxistas” – Entrevista com Adilson Mariano sobre o Movimento das Fábricas Ocupadas

Entrevistamos o camarada Adilson Mariano, militante da Esquerda Marxista, professor de História e ex-vereador pelo Partido dos Trabalhadores (PT) com um mandato revolucionário em Joinville. O camarada foi um dirigente importante dos acontecimentos no movimento de ocupações de fábricas no norte catarinense, entre 2002 e 2007, oferecendo seu mandato de 15 anos, eleito em 4 legislaturas na Câmara de Vereadores, aos interesses e lutas dos trabalhadores e do socialismo.

Leia Mais »

Uma síntese da humanidade: Engels e “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado”

Friedrich Engels fora conhecido nas fileiras do movimento operário como “O professor do proletariado” por suas contribuições substanciais para o materialismo histórico-dialético. Elas permitiram e continuarão possibilitando o desvelamento da realidade ocultada pela ideologia das classes dominantes, como faz o livro “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado”, responsável por apresentar sempre às novas gerações como se desenvolveu pilares da humanidade e as opressões geradas pelas mesmas. Assim, este artigo tem o intuito de introduzir a obra “A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado”, escrita por Friedrich Engels em 1884.

Leia Mais »

O que é a “Universidade Gratuita” do Governo Jorginho Mello?

Durante a campanha eleitoral de 2022 a enxurrada de mentiras bolsonaristas inundaram as propagandas de televisão, rádio e internet. Em Santa Catarina, os apoiadores do ex-presidente passaram por um racha ao longo dos quatro anos de mandato, distanciando-se do então governador eleito no oportunismo de 2018, Carlos Moisés (Republicanos), e aproximando-se de uma velha raposa catarinense, o ex-senador da República, Jorginho Mello (PL).  Eleito governador no segundo turno contra o petista Décio Lima, sua campanha seguiu a linha reacionária de Bolsonaro com o acréscimo oportunista e falacioso da “Universidade Gratuita”, vendendo a ilusão para a classe trabalhadora que seus filhos poderiam cursar o ensino superior sem custos. Desde o início, um projeto nebuloso, atrapalhado e que demorou para chegar às vias da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc).

Leia Mais »

“Canta primavera”: internacionalismo e revolução em “Tanto Mar” de Chico Buarque

No Brasil da década de 1970, enquanto o fado tropical tocava a violenta ditadura brasileira marcada pelos "anos de chumbo", de Portugal vinha o cheirinho de alecrim da Revolução dos Cravos de 1974, responsável por derrubar o fascismo lusitano. Cheirinho este sentido na canção “Tanto Mar”, composta por Chico Buarque em duas versões, a primeira de 1975 e a segunda de 1978, que, assim como a revolução do 25 de abril, ecoou pelas ondas de rádio dos trabalhadores e da juventude. 

Leia Mais »