Foto: Nacho Doce / Reuters

Por que ser um revolucionário e lutar pela revolução desde já?

Em janeiro de 2021, o Brasil soma mais de 217 mil mortes pela Covid-19, 14 milhões de desempregados, o encarecimento geral da vida para a classe trabalhadora e todas as explorações possíveis impostas pelo Estado e o mercado capitalistas. Com tudo isso, a falta de oxigênio no Amazonas e em outros Estados e o negacionismo frente a importância da vacinação, a popularidade do governo Bolsonaro despenca e alcança somente 26% da aprovação popular.   A luta pelo “Fora Bolsonaro” transformou-se em um mantra nacional, em todos os espectros políticos. Uma defesa que até pouco tempo era negada pela esquerda, hoje é gritada por setores da mídia burguesa, pelos liberais e pelos assim chamados progressistas. De Luciano Huck, João Dória ao MBL. De Guilherme Boulos, Lula a Ciro Gomes. Bolsonaro une os “inimigos” contra seu governo.

Todos eles apontam  que o problema de Bolsonaro é de gestão: não sabe gerir a pandemia, a economia, o congresso, o judiciário, a relação com a imprensa, os direitos humanos, etc. Isto é, se tivéssemos um presidente que soubesse gerenciar toda a crise em que estamos afundados, viveríamos muito melhor. Mais uma vez seguem a linha da despolitização do debate, escondendo que o problema é o sistema capitalista e que todos aqueles que tentarem administrá-lo vão administrar um Titanic em rota de colisão!

A crise histórica em que vivemos é do sistema capitalista! Um sistema que está jogando toda a humanidade para crises cada vez mais caóticas e para uma profunda desilusão com o futuro!  Igualmente, vivenciamos uma crise de direção revolucionária, evidenciada com tal unidade dos principais nomes da esquerda com a burguesia em suas indicações e planos de ação. Mas o aprofundamento da crise não permite que esses setores possam caminhar sob o mesmo guarda-chuva. A burguesia busca aumentar seus lucros e por isso vai demitir, privatizar e pressionar as condições da vida para níveis cada vez mais baixos, não existe saída ou reforma que seja garantida sob este sistema! Nisto consiste a necessidade histórica de sermos revolucionários, de lutar pela revolução e pelo socialismo para construir uma saída real desse pesadelo capitalista!

Aqueles que buscam reformar o capital com propostas ditas progressistas não possuem qualquer interesse em superar o sistema da propriedade privada dos meios de produção, da exploração de classes. Suas belas defesas e lutas são para amenizar os atritos entre os opressores e oprimidos por um mar calmo para o sistema. Mas, além de em nada resolver realmente nossos problemas, tais propostas são irrealizáveis, pois este sistema tornou-se incapaz de se reformar, de navegar em águas tranquilas e proporcionar mínimas melhorias em nossas vidas. O capitalismo é um sistema caduco! É preciso derrubá-lo e para tal, esses “progressistas” não são úteis, mas barreiras, que freiam a luta dos trabalhadores pela sua própria emancipação. O sistema capitalista perdeu a muito tempo seu verniz progressista e não pode mais elevar o progresso da humanidade, pois isso esbarra nas barreiras dos interesses da burguesia e de seus lucros.

Por isso é preciso ser revolucionário em nossos dias, pelos motivos que vemos à nossa frente todos os dias: as barbáries em que a maioria da população mundial sofre. Pelas mortes por doenças curáveis, pela ausência de comida, moradia, educação, saúde, trabalho e dignidade. Pelo “rico cada vez mais rico e pobre cada vez mais pobre”. É preciso ser revolucionário em nossos dias porque não há mais progresso nos marcos do capitalismo.

Assim como este sistema surgiu, a partir das lutas entre as classes, ele terá seu fim, mas, desta vez, tendo como protagonistas e vencedores a juventude e os trabalhadores, exauridos de toda opressão e exploração. Para tal, em dias onde as ebulições sociais são irremediáveis, possuímos a arma da organização revolucionária, onde possamos construir uma direção concreta para dar fim ao caos capitalista, nos formando no marxismo, conquistando novos jovens e trabalhadores e, definitivamente, construir um mundo onde sejamos socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres.

Abaixo o governo Bolsonaro! Por um governo dos trabalhadores, sem patrões nem generais!

Junte-se à Liberdade e Luta! Lute pelo Socialismo! 

Deixe Seu Comentário