Foto: ABR

Construir os núcleos da Liberdade e Luta e ganhar a juventude para a organização revolucionária

Quando os oponentes de Vladimir I. Lenin criticavam seu partido por reunir uma grande quantidade de jovens, o revolucionário russo respondia explicando que “quem tem a juventude tem o futuro”! É com este espírito que a Liberdade e Luta prepara o caminho que deve trilhar e no qual deve centrar suas forças no próximo período.

A construção de um partido revolucionário que alcance influência de massas necessita, para além da confiança na classe operária, segurança no programa marxista revolucionário e em nós mesmos. É preciso um trabalho planejado, sistemático e contínuo de enraizamento, construindo uma sólida intervenção em cada local, que nos permita ganhar confiança e autoridade frente aos trabalhadores. Essa mesma compreensão se aplica e é a chave para nosso crescimento junto à juventude.

Neste sentido, a tarefa se realizará na construção dos núcleos da Liberdade e Luta em cada local de intervenção dos jovens que concordam com nossa política, expressa no nosso manifesto de fundação. Assim, os núcleos da Liberdade e Luta são escolas comunistas, onde se aprendem na prática os métodos operários de organização, alicerçados no marxismo. O objetivo deste trabalho, embasado em um programa que defende uma política revolucionária, é ganhar mais jovens para a luta pelo socialismo.

Evidentemente, essa não é uma tarefa fácil, especialmente por estarmos vivendo um momento ímpar na história. A pandemia global do coronavírus, que vem ceifando vidas de jovens e trabalhadores diariamente, aliada com a crise econômica e social do sistema, impõe uma pressão gigantesca sobre nossos ombros para que todos cuidemos apenas de nossas vidas.

Ao mesmo tempo, esta mesma miséria também impulsiona à revolta e à necessidade da transformação da realidade vivida. Devemos ajudar toda a juventude a se fortalecer com o ânimo revolucionário. Ao lado da classe operária, ela é capaz de transformar o rumo da história. Este ânimo é presente. Vimos isso nos atos do dia 29 de maio, onde as manifestações foram formadas em sua grande maioria pela juventude em todos os locais para derrubar o governo Bolsonaro. Portanto, o necessário é dar a este espírito de contestação uma ação consciente, sendo a Liberdade e Luta a ferramenta para esta organização.

Desta forma, a construção de núcleos neste momento é essencial para que possamos nos conectar com a juventude. Embora seja uma árdua tarefa, os jovens da Liberdade e Luta são formados com os métodos da classe operária.

Nas cidades onde os militantes intervêm já estão sendo chamadas as primeiras atividades de lançamento dos núcleos. Estes encontros têm como mote a campanha “UFRJ Fica, Bolsonaro Sai”, que se amplia para todas as universidades públicas ameaçadas de fechamento. Além disso, eles também ajudam a preparar o Encontro Nacional Abaixo o Governo Bolsonaro, que acontecerá no dia 10 de julho.

Quem tem a juventude tem o futuro!

Somos o futuro e temos um papel primordial, tal como Lenin explicou em seu informe no Terceiro Congresso das Juventudes Comunistas (1920): “aprender o comunismo”. Isso significa assimilar a soma de conhecimentos desenvolvidos pela humanidade e ser o ponto de apoio do proletariado, com muita vivacidade.

Aprender todas as riquezas produzidas pela humanidade, compreendê-las de maneira revolucionária, é aprender o comunismo e lutar pelo fim do capitalismo. Esta é a chamada “escola do bolchevismo” e deve ser a meta das atividades e intervenções dos núcleos da Liberdade e Luta, formando e organizando a juventude revolucionária.

Deixe Seu Comentário