98/5000 Mina de Komsomolskaya, onde atualmente 119 mineiros estão em greve, no subsolo e sem ventilação

Apelo de solidariedade à greve dos mineiros em Lugansk

Desde 6 de junho, ocorre uma greve em massa de mineiros no território de Lugansk1 (também conhecido como República Popular de Lugansk). Um número significativo de mineiros em greve (119 pessoas) ocupa atualmente as galerias subterrâneas de uma das minas.

As demandas dos grevistas incluem: pagamento de quatro meses de salários, fim da violência contra os grevistas e garantias de segurança dos trabalhadores nas minas.

No entanto, enquanto continua a greve e a ocupação das galerias subterrâneas da mina Komsomolskaya, foi introduzida a quarentena no distrito de Antratsitovsky a partir da manhã de 7 de junho, como resultado da “ameaça de propagação da Covid-19“. O tráfego urbano foi reduzido e os dois operadores móveis (Lugank e Vodafon) não estão funcionando. Em 9 de junho, as autoridades locais cortaram a eletricidade da mina e das galerias subterrâneas onde está ocorrendo a greve, o que significa que a drenagem e a ventilação não funcionam. Isso representa uma ameaça direta à vida dos grevistas.

Vários líderes da greve também foram sequestrados pelas forças de segurança locais. A localização dos dois líderes da greve – os irmãos Efanov – permanece incerta. Há uma alta probabilidade de que eles estejam sendo mantidos no porão de um prédio municipal local, onde estão sendo torturados.

Os irmãos Efanov, que foram sequestrados e estão presos em um local desconhecido

Apelamos à solidariedade aos trabalhadores de Lugansk. Instamos os mineiros e sindicalistas de todo o mundo a pedir abertamente o fim da violência contra os mineiros de Donbass e a apoiar o cumprimento de suas demandas.

Envie mensagens de solidariedade para os seguintes endereços de e-mail:

Tendência Marxista Internacional, Rússia: imt.moscow@bk.ru

Gabinete do Ministério da República Popular de Lugansk: info@sovminlnr.ru

11 de junho de 2020

A situação atual da greve na região de Lugansk

17 de junho de 2020

Ao contrário de alguns relatos da mídia, a greve e a situação crítica nas minas no distrito de Lugansk continuam.

As autoridades anunciaram que garantiriam o pagamento dos salários em atraso dos trabalhadores em um mês, mas os mineiros ainda não receberam garantias para suas outras demandas. Embora a mídia na Rússia e na LPR [República Popular de Lugansk] afirme que a greve terminou, de fato isso não é verdade. A maioria dos problemas permanece sem solução.

Além disso, os mineiros continuam enfrentando constantes provocações do Ministério de Assuntos Internos local. Isso é verdade tanto no âmbito da mídia quanto no local onde os eventos estão ocorrendo. Em particular, nossos correspondentes revelaram que, das casas de alguns dos líderes da greve, tanto os que foram detidos quanto os que ainda não foram presos, as autoridades locais tentaram enviar falsas chamadas telefônicas de ameaças de terror aos jornais, para poderem acusar os mineiros de terrorismo. Ao mesmo tempo, os órgãos locais de assuntos internos recusaram-se categoricamente fornecer os mandados de captura quando os jornalistas os solicitaram. Esses mandados foram redigidos apenas algum tempo após o início das investigações em massa dos jornalistas. Ao mesmo tempo, as autoridades retiveram laptops, tablets, telefones e outros objetos de valor tomados dos detidos.

Além disso, é absolutamente falso que os líderes sequestrados e presos da greve tenham sido libertados. Os mineiros Vitaly e Igor Efanov, e vários outros, ainda permanecem nos porões da segurança do Estado, o que foi confirmado por suas famílias. Não há razão para mantê-los detidos além do desejo de demonstrar força. De fato, as próprias autoridades têm medo da elevação da consciência e da solidariedade do movimento trabalhista. Mas a repressão e as provocações não deterão a justa luta dos trabalhadores. Exigimos o fim dessas provocações e a libertação imediata de todos os mineiros sequestrados.

1 Cidade da Ucrânia.

TRADUÇÃO DE FABIANO LEITE.

PUBLICADO EM MARXIST.COM

Deixe Seu Comentário