Download WordPress Themes, Happy Birthday Wishes

ALERTA! Golpe de Trump, Bolsonaro e Almagro avança na Venezuela

Juan Guaidó, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, controlada pela oposição, auto-proclamou-se como “presidente interino” numa manifestação na zona Leste de Caracas.

A Casa Branca anunciou de imediato que reconhecia Guaidó como legítimo presidente da Venezuela, começou o golpe de Estado!

A decisão de Trump em reconhecer Guaidó como “presidente” da Venezuela em vez do eleito Maduro é um escândalo absoluto e foi seguida pelo secretário-geral da Organização dos Estados Americanos, também ele um interveniente crucial no golpe.

A Assembleia Nacional (em desrespeito pelo Supremo Tribunal) já nomeou, ilegalmente, um “embaixador” para a OEA – o golpe Trump – Bolsonaro – Almagro encontra-se em pleno avanço, tendo sido o primeiro passo a criação de um novo “presidente”. Nós afirmamos TIREM AS MÃOS DA VENEZUELA!

Guaidó invocou o Artigo 233 da Constituição para justificar a sua jogada, mas tal não tem qualquer fundamento. O artigo menciona uma “ausência permanente” do presidente (o que não é o caso) e mesmo assim estipula que seja o vice-presidente a tomar posse, não o presidente da Assembleia Nacional (que além disso se encontra em desrespeito para com o Supremo Tribunal).

Claro está, não interessam as cortesias constitucionais. Aquilo que testemunhamos é um golpe. O que importa é a força, ou seja, com que lado irá alinhar o Exército. Ainda não existem quaisquer indícios a esse respeito.

Hoje ocorreram imensas manifestações da oposição e também marchas chavistas de tamanho considerável, que ocorreram amplamente sem violência.

O primeiro passo do golpe já foi tomado, a criação de um polo de poder alternativo, reconhecido pelo imperialismo dos EUA. Agora irão seguir-lhes o Brasil e os países do Grupo de Lima.

Para uma análise mais profunda, confira também o artigo “Actualização sobre a tentativa de golpe de Estado na Venezuela“.

Fonte: Tirem as Mãos da Venezuela.

x

Confira Também

Desafios e tarefas: a universidade pública argentina na crise do capitalismo

Essa é a voz da Reforma, mas não da Reforma estancada no simples pacto entre ...