Início / Sem Categoria / Maria e o Dia das Mães

Maria e o Dia das Mães

Divulgamos aqui mais uma carta de Maria, dessa vez para as mães trabalhadoras

—————————————————-
São Paulo, 14 de maio de 2012
Às mães trabalhadoras,
Olá minhas amigas, já escrevi três cartas à nossa Presidenta (que também é mãe), mas hoje resolvi escrever para vocês.
Ontem foi um dia bom e ruim aqui em casa. Foi bom porque meu filho lembrou de mim, mas foi ruim porque acabei batendo boca com ele. Ah, é difícil educar nesses dias. Sabe o que é, é que ele me deu um presente, um micro-ondas. Eu fique brava porque nós não temos dinheiro. Então ele disse que fez no crediário e que sai baratinho. Daí eu disse que se não temos dinheiro agora como saberemos se vamos ter depois. O que adianta o micro-ondas se não tivermos comida para colocar nele? Daí meu filho ficou bravo, falou que eu sempre vejo problema em tudo.

Ah minha amigas, como é difícil, eu não queria chatear meu filho, mas se ele começa com esse costume de comprar tudo em vezes, a gente já não consegue pagar as contas. Ele fala que é baratinho, 20 reais por mês, mas 20 reais por mês é o que tá faltando para completar a comida. No total são sempre 200 reais, mesmo dividido, é isso que ele não entende.

Daí eu fiquei assistindo TV sozinha à tarde toda porque ele saiu, fiquei assistindo aquelas propagandas de TV, geladeira, fogão tudo em vezes, todos diziam que era oferta imperdível e fiquei pensando, fiquei matutando… Isso não está certo não, eles fazem um monte de propaganda tentando fazer a gente comprar tudo, falam das mães e fazem do dia das mães essa loucura de comprar como meu filho fez. O sentimento do meu filho, a lembrança dele querer comprar alguma coisa pra mim, isso tudo é muito bonito e eu fico feliz. Mas não acho certo as lojas tirarem proveito disso não.

Esses pensamentos ficaram na minha cabeça e eu fiquei tão brava que desliguei a TV e fui atrás do Carlos. Ele tava com os amigos e ainda estava bravo comigo, mas eu falei que era dia das mães e que eu queria falar com ele. Sentei com ele na laje de casa, estava frio, quase garoando, falei: Meu filho, a mãe te ama muito, você é tudo pra mãe. A mãe sabe que você trabalha muito e que só quis agradar a mãe. Mas a mãe tem que falar a verdade pra você filho, num é nenhuma coisa que importa no dia das mães, é o seu abraço, o seu carinho. Eu fiquei feliz com o presente que você deu. Mas eu queria que você soubesse que a gente não pode gastar mais do que tem não. O certo é a gente ganhar mais no salário e não achar que tem mais por causa do crediário, entende? Olha só, hoje à tarde eu fiquei assistindo TV, eu sei que na propaganda eles falam que é fácil, que é imperdível comprar as coisas, eu sei que na novela, nos programas as pessoas aparecem com um monte de coisa, um luxo só. Mas isso num tá certo não filho, olha aqui na nossa volta, nossos amigos, todo mundo é gente boa e amiga e num tem nada dessas coisas. Filho, eu quero o melhor pra gente, quero que você estude e seja feliz, mas se hoje a gente tem só 20, 30 reais é o que a gente tem, não quero ver você fazendo dívida não, ouviu?

Ele ficou olhando pra frente, me abraçou e disse: Tá certo mãe, eu já tô sem dinheiro pra passagem e fiz esse crediário, quase que tive que trazer o micro-ondas caminhando. Mas é que eu queria tanto ver a senhora feliz. Mas entendi, num vou mais gastar o que a gente não tem. Sabe o que vou fazer? Vou pedir um aumento, o chefe falou que depois do 1º de maio ia dar um aumento e até agora nada. Daí pago o micro-ondas que comprei pra senhora esquentar sua comida sem sujar a panela quando chega cansada do trabalho.

Enquanto meu filho falava eu chorei, a chuva começou a cair e ele não percebeu no começo, as lágrimas se misturavam com as gotas… eu chorei porque meu filho está virando homem, um homem que eu ajudei a formar, mas também chorei porque é difícil a vida, é difícil viver com essas propagandas, com tudo isso que parece que fala que se a gente não tiver as coisas não valemos nada.

Ah minha amigas, vocês sabem, eu pensei muito em vocês ontem, em todas as mães, não só do Brasil, todas as mulheres que trabalham todos os dias para que seus filhos possam viver melhor do que vocês vivem, felicidade todos os dias, ser mãe é tão bom e tão difícil às vezes, queria que no futuro a gente não tivesse que se preocupar tanto com as coisas do dia-a-dia, com o futuro dos nossos filhos e pudéssemos curtir o momento, ter o presente como um presente permanente de dia das mães.
Um abraço cheio de amor e esperança, Maria

Deixe seu comentário

Leia também...

Eleições no Chile: A “Frente Ampla” se apresenta no primeiro turno das eleições presidenciais.

Escrito por Carlos Hernán As eleições do dia 19 de novembro no Chile mostraram uma …