Esquerda Marxista nas Eleições 2022

Os candidatos da Esquerda Marxista apresentarão para trabalhadores e jovens de várias cidades e estados do país a análise e a plataforma dos revolucionários. Os marxistas participam das eleições contando apenas com o apoio político e financeiro dos trabalhadores e jovens que querem levar à frente a análise e o programa que apresentam.

Conheça a plataforma eleitoral dos marxistas

  • ℹ️ Não pagamento da Dívida Pública (interna e externa), que não foi o povo que fez e que é o principal instrumento de domínio imperialista e de exploração da classe trabalhadora e de todos os oprimidos!

    Este é o primeiro item do nosso programa. Este item expõe a contradição permanente entre as necessidades dos trabalhadores e da juventude e o saque promovido pela burguesia e pelo imperialismo contra nós todos os anos. No orçamento de 2022, 39% dos recursos e riquezas produzidas pelos trabalhadores foi destinado para o pagamento do refinanciamento (juros e amortização) da dívida pública. Enquanto apenas 2,35% para o Ensino, 3,06% para a Saúde, 1,6% para a assistência. A dívida pública interna (DPMFi) alcançou R$5,476 trilhões (mai/22). A dívida pública externa (DPFe) alcançou R$226,27 bilhões (mai/22). A previsão do estoque da dívida (DPF) para 2022 é de R$6 a R$6,4 trilhões. Dados: Agência Brasil. Já o PIB em 2021 fechou em R$8,7 trilhões, ou seja, o estoque da dívida pública hoje consome cerca de 70% do PIB!
    Artigos para entender mais:
    🔗 Como se formou a dívida pública do Brasil e a luta revolucionária pelo fim de seu pagamento
    🔗 Dívida Pública suga dos trabalhadores para valorizar capital dos super ricos
    🔗 Dívida Pública alcança R$4 trilhões: o que isso significa?
    🔗 Dívida Pública, terceirização e privatização
  • ℹ️ Todo investimento necessário nos serviços públicos! Realização imediata de concursos públicos para preenchimento de todas as vagas existentes e ampliação do atendimento! Saúde e Educação públicas e gratuitas para todos! Cancelamento de todas as OSs, na Saúde, e fim do financiamento público para empresas privadas de educação! Contratação efetiva e direta pelo Estado de todos os trabalhadores das parcerias privadas (ONGs, OSs etc.), com garantia de direitos e estabilidade no emprego.

    Este é o segundo ponto da nossa plataforma política. Este item coloca o combate contra a sanha privatista nos serviços públicos, salário indireto dos trabalhadores e da juventude. No orçamento 2022, apenas 1,6% foi destinado para a assistência, 2,35% para o Ensino e 3,06% para a saúde. Enquanto 39% para pagar o refinanciamento da Dívida Pública. O dinheiro existe para colocar todos os jovens que se inscreveram no ENEM 2014 (edição recorde de inscritos) nas universidades públicas. Seria necessário cerca de 7% do Orçamento de 2022 para realizar essa demanda. E essa conta pode ser feita para os leitos de UTI, insumos, profissionais na área da saúde e para qualquer outro serviço público. Destacamos alguns artigos sobre o combate em defesa dos serviços 100% públicos, gratuitos e para TODOS.
    Artigos para entender mais:
    🔗 O direito à educação pública, gratuita e para todos – história e atualidade
    🔗 O direito à educação em tempos de pandemia
    🔗 Os trabalhadores da saúde e a defesa dos serviços públicos e da estabilidade no emprego
    🔗 Mensalidades nas universidades públicas avançam privatização da educação
    🔗 Educação não é mercadoria? Uma análise marxista
    🔗 Creches conveniadas e OS: privatização da educação pública
  • Revogação da Reforma do Ensino Médio que prepara a privatização e terceirização desse segmento em todo o país, além de impor o excludente modelo de ensino por tempo integral. Em 2022 essa reforma do governo Temer começa a ser implantada Brasil afora. É preciso denunciar e organizar a luta em prol de sua imediata revogação.
  • Vagas para todos, da creche à universidade! Educação pública, gratuita e para todos! Fim do vestibular! Por um sistema educacional, hoje inexistente, que garanta a formação de crianças, adolescentes e adultos, da educação infantil ao ensino superior.
  • Fim das parcerias público-privadas nas universidades! Estatização de todas as universidades privadas que recebem dinheiro público!
  • Seguro-desemprego para todos os desempregados. Estabilidade no emprego, nenhuma demissão! Reajuste mensal automático dos salários de acordo com a inflação!
  • Anulação de todas as reformas trabalhistas e das reformas da Previdência de FHC, Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro! Previdência pública e solidária, aposentadoria com o último salário integral após 35 (homens) / 30 (mulheres) anos de trabalho, sem idade mínima.
  • Congelamento dos aluguéis. Proibição de despejos por falta de pagamento de aluguéis! Expropriação dos prédios e terrenos ocupados: Moradia para todos os trabalhadores sem-teto!
  • Reforma agrária já! Por uma verdadeira reforma agrária que deve passar pela expropriação e estatização do Agronegócio e do latifúndio, sob controle dos trabalhadores!
  • Anulação de todas as privatizações de serviços e empresas públicas realizadas pelos governos FHC, Lula, Dilma, Temer e Bolsonaro!
  • Trabalho igual, salário igual!
  • Fim do assédio sexual no trabalho!
  • Pela garantia das condições adequadas para mulher no ambiente de trabalho! Pela li­bertação da mulher da dupla jornada, dos afazeres domés­ticos. Combater toda violência con­tra a mulher!
  • Lavanderias públicas, restau­rantes públicos e creches públi­cas, gratuitas e para todos!
  • Pelo desenvolvimento de po­líticas públicas para acolher e preservar a vida de mulheres e seus filhos vítimas de violência!
  • Aborto legal, público, gratuito e para todos!
  • Não à violência obstétrica! Parto humanizado público, gratuito e para todos!
  • Ampliação da licença maternidade até os primeiros 18 meses de vida do bebê! Licença paternidade igual à licença maternidade!
  • Fim das burocracias e exigências para laqueaduras! Acesso rápido, público, gratuito e para todos aos métodos contraceptivos pelo SUS!
  • Ser negro não é crime! Abaixo o racismo e o racialismo!
  • Pelo fim da PM! Abaixo a repressão! Chega de assassinatos de jovens e trabalhadores negros!
  • Abaixo a burocracia no uso de nomes sociais e mudanças de documentos!
  • Acesso sem burocracia a todo tratamento para hormonização público, gratuito e para toda a população trans e travesti! Abaixo toda discriminação e opressão contra LGBTQIA+!
  • Independência de classe! Revogação do fundo partidário e eleitoral! Autossustentação militante!
  • Abaixo o governo Bolsonaro! Abaixo o capitalismo! Pela revolução socialista com um governo dos trabalhadores sem patrões nem generais!

Saiba quem são nossos pré-candidatos

Lucy Dias (Pré-Candidata a Deputada Federal/SP)

Lucy Dias é militante da Esquerda Marxista, moradora da cidade metropolitana de Franco da Rocha, onde nasceu. Formou-se em Ciências Econômicas na PUC-São Paulo. Luta contra o sistema e pela revolução socialista como forma de emancipar todos os seres humanos e libertar as mulheres da exploração e da opressão machista e capitalista.

MANIFESTO PRÉ-CANDIDATURA LUCY DIAS

Siga nas redes sociais:

Grupo de What’s App: encurtador.com.br/pvGQ0
YouTube: encurtador.com.br/uLS04
Istagram: @lucydiaspelosocialismo
TikTok: tiktok.com/@lucydiaspelosocialismo
Twitter: @pelosocialismo_

Pedro Henrique Corrêa (Pré-candidato a Deputado Estadual/RJ)

edro Henrique Corrêa é dirigente nacional da Esquerda Marxista e foi diretor da Associação Nacional de Pós-graduandos (ANPG). Formou-se em Psicologia na PUC-Rio, fez mestrado e doutorado em Saúde Coletiva na UERJ, e atua profissionalmente como psicanalista. Sua candidatura tem como objetivo alcançar interessados em unir a luta contra Bolsonaro à luta pelo socialismo, convidando-os a conhecerem os espaços de organização da Esquerda Marxista.

MANIFESTO PRÉ-CANDIDATURA PEDRO HENRIQUE CORRÊA

Siga nas redes sociais:

YouTube:Crítica Comunista
Instagram: @pedrohenriquecorrea

Thaís Tolentino (Pré-Candidata a Deputada Estadual/SC)

Thaís Tolentino tem 34 anos, é militante da Esquerda Marxista desde 2015 e do movimento Mulheres pelo Socialismo desde 2017, moradora de Florianópolis, onde cursa o doutorado em Literatura na UFSC. Formada em Letras, atuou como professora ACT da rede estadual de ensino de Santa Catarina, sendo eleita pela categoria como coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da regional de Joinville na gestão de 2016. Sua candidatura tem como objetivo reunir a jovens e trabalhadores contra o governo Bolsonaro e pela construção do socialismo, um mundo sem exploradores e explorados.

MANIFESTO PRÉ-CANDIDATURA THAÍS TOLENTINO

Siga nas redes sociais:

Instagram: @thaistolentino.socialismo

Deixe Seu Comentário