Criptografia e bolchevismo

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 16, de 1º de outubro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

Falei sobre o Wikileaks no primeiro texto e como Assange pensou a criação do Wikileaks pois ele e os cypherpunks acreditam que a criptografia seria uma capacidade física do universo em favor dos indivíduos, pois para quebrar a criptografia é mais difícil e caro que criar um texto criptografado, ou seja, indecifrável.

Em termos de uso da criptografia na comunicação, podemos recorrer a dois episódios registrados: um na Segunda Guerra e outro na Revolução Russa. O episódio da Segunda Guerra é bastante divulgado em filmes e livros por conta da história de Alan Turing, um matemático perseguido por ser gay na Inglaterra. O filme “O Jogo da Imitação” conta a sua história.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário