As frentes de conciliação e a hipocrisia das direções reformistas

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 16, de 1º de outubro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

As eleições se aproximam e os reformistas reafirmam seu caráter com maior intensidade, cumprindo uma função de freio para os trabalhadores na luta contra o capitalismo e o Estado. Nos últimos meses, antes de iniciarem os acertos eleitorais, partidos como o PT, o PCdoB, a direção do PSOL e o PCB, além de suas expressões sindicais e estudantis, foram obrigados a adotar a palavra de ordem Fora Bolsonaro, pois tornou-se impossível calar as ruas e os panelaços.

Contudo, quando passaram a repetir o Fora Bolsonaro, impulsionado desde o início de 2019 pela Esquerda Marxista e Liberdade e Luta, usaram a palavra de ordem para defender as instituições e a Constituição burguesas, buscando enquadrá-la nos limites do Estado burguês e impedir que a manifestação dos trabalhadores e da juventude derrubasse efetivamente o governo.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário