Jovens trabalhadores da mina de carvão na África do Sul /Foto: Wikimedia Commons

África do Sul: 16 anos do fim do Apartheid (parte 1)

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 18, de 29 de outubro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

Em 2010, assistimos pela televisão a África do Sul sediar a Copa do Mundo, ocasião em que modernos estádios de futebol e grande estrutura em parceria com a FIFA foram construídas para receber visitantes e atrair os holofotes do mundo todo. Mas as câmeras da burguesia internacional viravam as costas para dados sociais e econômicos profundamente perversos à classe trabalhadora sul africana.

O país do extremo sul do continente africano tem sua economia baseada na agricultura, sendo um importante exportador de grãos e cereais mundial, além de riquíssimas reservas de minério, como ferro e platina, um considerável setor financeiro e grandes montadoras de maquinários e carros, advindas de um processo de industrialização pós Segunda Guerra. São nesses setores que se concentra o proletariado, classe em que mais se encontra os quase 80% da população declarada negra no país.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário