Uma só luta contra o racismo e o capitalismo

PÁGINA DO MOVIMENTO NEGRO SOCIALISTA

O racismo e o capitalismo são duas faces da mesma moeda (Steve Biko)

Hoje, 31 de maio, ocorrerão manifestações em São Paulo e Rio de Janeiro por conta dos assassinatos cometidos pela polícia de João Pedro Matos – baleado dentro de casa, em 18 de maio – e George Floyd, asfixiado pelo policial Derek Chauvin em Minneapolis, EUA, no dia 25 de maio.

Em São Paulo,  a manifestação começa a partir das 12 horas, no vão livre do MASP e no Rio de Janeiro, inicia a partir das 15 horas, em frente ao Palácio Laranjeiras. Os atos foram convocados pela internet de forma espontânea. Todos estão sendo orientados a utilizarem álcool em gel e máscaras para evitar contágio pela Covid-19.

Protestos nos EUA

Os protestos iniciados após o assassinato de George Floyd, em Minneapolis, se espalharam por todos os Estados Unidos. Na madrugada deste domingo, mais uma morte ocorreu em Indianápolis, e outras três ficaram feridas quando um homem atirou nos manifestantes. As manifestações ocorreram em pelo menos 75 cidades, segundo o The New York Times, e, na maioria delas, foi decretado toque de recolher.

A Guarda Nacional foi convocada em 12 estados e no Distrito de Columbia. Todas as estradas intermunicipais e interestaduais que levam à cidade de Minneapolis foram interditadas.

Em sinal de solidariedade aos manifestantes, os motoristas de ônibus de Minneapolis se recusam a colaborar com a polícia e não transportam as centenas de manifestantes que estão sendo presos.

Há décadas em que nada acontece e há semanas em que décadas acontecem (Lenin)

O que ocorre nos EUA é uma rebelião contra o sistema que mata e encarcera de forma organizada a população negra, para mantê-la sob controle. O isolamento social aumentou a violência contra a população negra em todos os EUA. O assassinato de George Floyd foi um gatilho que disparou a revolta reprimida.

Conhecido por suas posições racistas, o presidente dos EUA, Donald Trump, vem exigindo “mão pesada” contra os manifestantes acusando-os de serem da esquerda radical, e disse que pode enviar o Exército para Minneapolis, se o governador estado do Minnesota solicitar.

Temos o Exército preparado e disposto. Se [as autoridades do Minnesota] quiserem chamar o Exército, podemos ter as tropas no terreno muito rápido”, afirmou Donald Trump, em declarações feitas aos jornalistas em Washington, antes da partida para a Flórida, onde assistiu ao lançamento da missão espacial Dragon Demo-2, da NASA e da empresa privada SpaceX.

Esta explosão tem um caráter revolucionário, e joga por terra o “dito sucesso” das políticas integracionistas adotadas nos EUA, e que são difundidas no Brasil principalmente por correntes do movimento negro que caíram no conto do vigário das políticas pós-modernas.

As manifestações que estão estremecendo os pilares da nação mais poderosa do mundo e os protestos que estão ocorrendo em vários países mostram de maneira inequívoca que a luta antirracista é uma luta essencialmente anticapitalista e anti-imperialista.

Uma das cenas que chamaram a atenção nos atos que ocorrem nos EUA foi a barreira feita por mulheres brancas para proteger, com seus corpos, os manifestantes negros. Mais um ato que mostra que o combate ao racismo é parte integrante da vigorosa luta de classes contra o sistema capitalista, que não tem mais nada a oferecer à humanidade.

Deixe Seu Comentário