Imagem: JDS

Sri Lanka: Contra a repressão do governo Ranil! Abaixo a Lei de Prevenção ao Terrorismo!

Como informamos anteriormente, no mês passado o governo de Ranil Wickremesinghe no Sri Lanka desencadeou a repressão contra sindicalistas e ativistas de esquerda. Agora, o regime intensificou a sua repressão, usando a notória Lei de Prevenção ao Terrorismo para deter ativistas por longos períodos sem julgamento. No domingo, 28 de agosto, haverá protestos em frente ao escritório do Conselho de Direitos Humanos da ONU em Genebra e nas embaixadas do Sri Lanka em todo o mundo, às 14h, horário local.

Em 18 de agosto, as forças de segurança do Sri Lanka atacaram brutalmente um protesto estudantil, disparando canhões de água e gás lacrimogêneo contra manifestantes pacíficos. A polícia prendeu 20 pessoas. Enquanto a maioria foi presa, três deles foram mantido sob custódia sob a notória Lei de Prevenção ao Terrorismo.

Esse é um desenvolvimento extremamente sério, que deve alarmar não apenas os socialistas, mas todos os democratas consistentes. Essa lei foi uma legislação instituída pelo governo em 1979. Está sendo usada há mais de 40 anos desde então, apesar das repetidas promessas quebradas dos governos de mudar a legislação.

Nesse período, foi usada repetidamente, particularmente contra muçulmanos e tâmeis, dezenas de milhares dos quais foram detidos sob esta lei. Sob seus poderes, a polícia pode deter um indivíduo por até três meses, sem apresentá-lo perante um magistrado, após o qual um preso pode ser submetido a um número ilimitado de prorrogações de três meses. Em alguns casos, a lei foi usada para deter indivíduos por mais de uma década sem julgamento!

Esta legislação é uma vergonha absoluta. Ranil Wickremesinghe assinou agora as ordens de detenção de três meses para três ativistas estudantis: Wasantha Mudalige, o organizador da Federação Interuniversitária de Estudantes de esquerda (IUSF, na sigla em inglês) – um sindicato estudantil de esquerda que tem estado na vanguarda do movimento de protesto desde a primavera; Galwewa Siridhamma Thero, organizador da Federação Interuniversitária de Bhikkus (monges budistas); e Hashan Jeewantha, da IUSF.

Os três ativistas estudantis estão detidos em Tangalle, a quilômetros de suas casas, sem qualquer acesso ao devido processo, onde correm o risco de tortura e abuso. Que eles estejam sendo detidos sob a legislação de terrorismo por nada mais do que participar de protestos pacíficos e populares em massa é um escândalo. Essa é uma tentativa descarada de esfriar o movimento de massa, ameaçando ativistas com desaparecimentos forçados.

Para protestar contra esse escândalo, junte-se aos piquetes em frente das embaixadas do Sri Lanka em 28 de agosto. Publique fotos do seu protesto nas redes sociais com a hashtag #RepealPTA.

Nós dizemos:

  • Contra a repressão do governo Ranil!
  • Liberdade para todos os presos políticos!
  • Abaixo a Lei de Prevenção ao Terrorismo!

TRADUÇÃO DE FABIANO LEITE.

Deixe Seu Comentário