Imagem: Divulgação

Snowpiecer: luta de classes e revolução… em um trem

A Netflix lançou recentemente uma adaptação do thriller distópico de ação Snowpiecer, de Bong Joon-ho, que oferece uma poderosa alegoria sobre a luta de classes na sociedade. Steve Jones relembra o filme original.

O filme Parasita de 2019 do diretor coreano Bong Joon-ho – uma sátira mordaz ao capitalismo moderno – certamente ganhou elogios críticos e comerciais, junto com uma série de prêmios, incluindo a melhor fotografia no Oscar deste ano.

Seis anos atrás, porém, Bong fez um filme ainda mais explicitamente anticapitalista chamado Snowpiecer, que agora está ganhando uma nova audiência devido ao remake da Netflix.

Snowpiecer permanece sendo um dos filmes mais caros já feitos pela Coréia do Sul, com um orçamento declarado de 40 milhões de dólares americanos. Este possui uma mistura considerável dos melhores atores coreanos e de atores dos Estados Unidos e do Reino Unido, com Song Kang-ho e Ko Asung acompanhados por pessoas como Ed Harris, Tilda Swinton e o falecido John Hurt. O elenco é liderado pelo próprio “Capitão América”, Chris Evans.

Corpos de homens armados

O filme é um drama de ficção científica, baseado em uma história em quadrinhos de 1982 chamada Le Transperceneige. Ele passa em um futuro próximo onde, após uma catástrofe climática, o mundo entrou em uma nova era do gelo. Os sobreviventes estão presos em um trem enorme, que está orbitando ao redor do planeta agora congelado. A premissa básica aqui é claramente ridícula, mas ela serve a um propósito – como veremos.

No ano de 2031, o trem foi dividido em torno das linhas de classe: os poucos ricos estão dominando a frente, enquanto as massas pobres estão presas no fundo, vivendo sob terríveis condições e enfrentando o constante assédio dos guardas armados do trem.

Todos falam sobre Wilford (Harris), o dono do trem, mas ninguém nem mesmo o viu – aqui temos semelhanças intencionais com o Mágico de Oz. Porém, todos conhecem sua mulher de confiança implacável, a Ministra Mason, encenada soberbamente por Swinton.

Os revolucionários, liderados por Curtis (Evans), começam a trabalhar organizando uma revolta para capturar Mason e trazer uma mudança transformacional. Depois de perceberem que os “corpos de homens armados” na verdade não tem munição para usar contra qualquer levante, a batalha começa.

E logo se torna claro que o controle dos capitalistas sobre o trem é baseado em mentiras. Como também que eles talvez tenham um terrível plano oculto e estão pretendendo usar a revolta para colocá-lo em prática.

Snowpiecer funciona muito bem como um filme de ação e ficção científica, com um fluxo constante de sequências de luta, viradas e traições, que são familiares aos fãs destes filmes; e, também, como um velado ataque político as classes dominantes.

Tocando o coração

A tentativa de combinar dois tipos de filmes muito diferentes – um thriller de ação e comentário social artístico – provavelmente não ajudou o filme em seu lançamento inicial, embora tenha sido bom o suficiente na Coréia e na China.

Nos EUA, seu distribuidor, The Weinstein Company, cortou a duração do filme (uma peculiaridade comum para os distribuidores dos EUA quando se defrontam com longos filmes estrangeiros) em 20 minutos, e então colocou esta nova versão em somente oito cinemas. Bong Joon-ho resistiu bravamente contra isto, e no fim foi para um lançamento limitado com seus completos 126 minutos, embora sob um novo distribuidor.

Embora Snowpiecer tenha ido rapidamente para DVD e para as plataformas de streaming online, ele foi – como outros filmes cult – ganhando apoiadores a longo do caminho. Certamente estes temas políticos tem atraído um interesse considerável, mesmo de pessoas que normalmente não assistem filmes como este. O sucesso de Parasita é um acréscimo a isso.

A Netflix começou agora uma série adaptada. Esta aparentemente manteve os temas abrangentes da luta de classes, revolução e reação. Sem dúvida estes temas irão tocar o público na época atual, dadas as crises e lutas de massa tomando lugar através do mundo todo no último ano.

Aqueles que se encontram assistindo esta série deveriam retornar e fazer uma visita ao filme original de 2013. A mistura de estilos nem sempre funciona, mas Snowpiecer é de uma inteligência incomum e um filme bem feito que merece ser revisto.

TRADUÇÃO DE JOSÉ GUTERRES

PUBLICADO EM MARXIST.COM

Deixe Seu Comentário