Reforma Administrativa: a volta às origens do Estado burguês no Brasil

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 15, de 17 de setembro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

O governo do Estado moderno é apenas um comitê para gerir os negócios comuns de toda a burguesia[1].

As classes vão desaparecer, e de maneira tão inevitável como no passado surgiram. Com o desaparecimento das classes, desaparecerá inevitavelmente o Estado[2].

Considerar o Estado uma organização social neutra é uma confusão insuportável para a luta revolucionária. Mas tem muita gente que diz: “mas a Saúde, a Educação, a Previdência, tudo está no Estado”. São conquistas proletárias cravadas no esqueleto desse monstro pela luta revolucionária do proletariado durante […] mais de um século. Nós impusemos reivindicações que eram puramente proletárias e os obrigamos. Quando não estamos fortes o suficiente, eles começam a tirar tudo outra vez. E aparece cada vez mais o esqueleto […] desse morto-vivo chamado Estado burguês, que é o nosso inimigo[3].

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário