Prefeito Adriano Silva e o empresário Luciano Hang – Foto: Rogerio da Silva/Secom/Divulgação ND

Prefeito de Joinville ajuda Luciano Hang a enriquecer mais enquanto despeja famílias na pandemia

Na última quarta-feira (23/6), o empresário Luciano Hang visitou Joinville com sua comitiva. Dono das lojas Havan, Hang é uma figura conhecida em todo cenário nacional por ser proprietário de uma das maiores empresas de varejo do Brasil.

A viagem do empresário teve como objetivo a entrega do alvará para a construção de uma nova loja na cidade, documento que recebeu das mãos do prefeito, Adriano Silva, do Partido Novo.

A chegada de Hang, louvada e bajulada pelo prefeito e pela burguesia local, dá-se em meio a mais um escândalo envolvendo o nome do empresário. No último dia 21, a imprensa divulgou a existência de um relatório realizado pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) feito em julho de 2020, que revelava indícios de que a fortuna acumulada pelo empresário se deu também por lavagem de dinheiro em suas lojas, agiotagem, entre outros crimes. 

Para além das possíveis práticas criminosas, este império do varejo foi construído graças à exploração da força de trabalho de seus funcionários, benefícios do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES) concedidos por governos petistas e pelo não pagamento de impostos relacionados à Previdência Social – negociados com um prazo de mais de 100 anos para pagar.

Luciano Hang é o perfeito exemplo de como a burguesia utiliza-se do Estado para enriquecer. Ainda em 2019, o empresário agiu com todas as suas forças para passar por cima das leis vigentes em Joinville e construir uma loja em um local irregular. À época, houve uma grande pressão no Legislativo para que fosse aprovada a construção de seu novo empreendimento. De tão significativo o evento, o prefeito Adriano Silva ainda na campanha prometeu a Luciano Hang os caminhos facilitados para a construção de sua loja, o que acabou acontecendo seis meses depois de tomada a posse.

Rejane Gambin, Luciano Hang e Adriano Silva: Joinville entrega de alvará para a terceira loja (Foto: Divulgação)

O prefeito do Partido Novo não hesitou em posar ao lado de um dos principais fiadores do governo Bolsonaro, que mata por Covid-19 e entrega o patrimônio brasileiro de graça aos grandes capitalistas. Nem pensou duas vezes antes de facilitar os caminhos para o empresário acumular ainda mais fortuna passando por cima das leis municipais.

A falta de coerência, se é que isso existe para a burguesia, é ainda mais escandalosa quando consideramos a dificuldade que os pequenos negócios estão enfrentando na pandemia. Muitos microempreendedores estão tendo que fechar seus comércios pela completa falta de ajuda dos governos federal, estadual e municipal enquanto pagam religiosamente seus impostos. Já Hang é privilegiado  junto às instituições públicas.

Outro fato importante é que os servidores municipais de Joinville estão sofrendo pela gestão do Partido Novo o pior ataque de todos os tempos à previdência. O prefeito segue, com isso, a política do governo federal. Já o empresário Luciano Hang é um dos principais devedores de impostos previdenciários no país. 

A fotografia e as boas vindas de Adriano a Hang são um tapa na cara de cada trabalhador que luta por seu sustento todos os dias, paga seus impostos e sonha em se aposentar, mas tem seu direito roubado.

O Partido Novo é o partido do patrão. Sua natureza é ajudar a burguesia a enriquecer ainda mais, concedendo licenças para grandes lojas e facilitando o caminho para qualquer um da classe dominante que deseje burlar as regras. Enquanto isso, a população empobrecida que não consegue pagar seu aluguel e é empurrada para ocupações irregulares sofre com ações de despejo em plena pandemia.

A solução é ajudar a construir um partido que seja de fato dos trabalhadores, que guie politicamente a classe a se libertar de engodos como os burgueses Adriano Silva e Luciano Hang.

Deixe Seu Comentário