Foto: Red Workers' Front

Paquistão: realizado vitorioso encontro nacional de trabalhadores

No dia 4 de dezembro, centenas de trabalhadores do setor público e privado, bem como representantes sindicais, estudantes e líderes camponeses de todo o Paquistão, se reuniram em Lahore para participar da convenção central dos trabalhadores organizada pela Frente Vermelha dos Trabalhadores [Red Worker’s Front – RWF]. A convenção foi realizada no Bakhtiar Labor Hall, que pertence ao Hydro Union for WAPDA (o departamento de eletricidade do Estado), o maior sindicato do setor público do Paquistão. Essa foi a conclusão de uma longa série de convenções realizadas em novembro em dezenas de cidades do país.

As principais reivindicações da convenção central dos trabalhadores eram por um aumento imediato do salário-mínimo de acordo com o aumento da inflação; o fim da privatização e do trabalho contratual; empregos permanentes para todos; eliminação do desemprego; limitação do horário de trabalho; implementação de leis de segurança industrial; e plena liberdade para atividades sindicais.

Representantes sindicais de quase todos os principais setores públicos e muitos sindicatos do setor privado estiveram presentes na convenção. Entre os que falaram no evento se incluíam:

  • Hafiz Lutfullah, presidente central da Federação Ittehad dos Trabalhadores PTCL (Pakistan Telecommunications Limited)
  • Mahmud Nangiana, presidente central da Grande Aliança dos Sindicatos das Ferrovias de Todo o Paquistão
  • Mukhtar Gujjar, presidente da Associação de Funcionários de Lahore de Todo o Paquistão
  • Faiza Rana, vice-presidente da Associação de Professores e Palestrantes de Punjab
  • Javed Shah e Noor Iqbal Bhatti, da Grid Station Circle WAPDA Hydro Union, Lahore Electric Supply Corporation
  • Yasir Sharif, da indústria têxtil Ali Murtaza, localizada na área industrial de Gajju Matta, Lahore
  • Amir Hussain, do galpão de motores a diesel da ferrovia, Lahore
  • Gulzada Safi, do Sindicato dos Professores de Punjab
  • Aziz Khan, presidente do Sindicato Geral dos Trabalhadores de Pneus em Karachi
  • Malik Munir, presidente central da Associação de Profissionais de Saúde Aliados do Paquistão
  • Ejaz Ayub, presidente da Associação de Jovens Médicos, Gilgit-Baltistan
  • Sarfraz Khan, líder central do sindicato ferroviário
  • Rana Faiz, presidente do Comitê de Punjab Kissan (camponês)
  • Inayat Gujjar, presidente central do sindicato ferroviário
  • Anam Khan, da RWF Karachi
  • Fazeel Asghar, Organizador Central da Aliança Juvenil Progressiva (PYA)

Muitos mais se juntaram a eles, incluindo camaradas da RWF. A maioria dos representantes sindicais e trabalhadores presentes na convenção concordou com a estratégia proposta pela RWF, de que, para se defender dos crescentes ataques à classe trabalhadora realizados pela classe dominante, é necessário se preparar para uma greve geral em todo o país. Além disso, houve severas críticas ao programa de empréstimos do FMI contra o povo.

A atmosfera durante a convenção foi elétrica, e o moral dos participantes muito alto, o que se refletiu nas repetidas explosões de palavras de ordem radicais levantados pelos trabalhadores e jovens. Uma série de resoluções também foram aprovadas pela convenção, variando de demandas econômicas imediatas a demandas democráticas e políticas.

Isso incluía o apoio aos imigrantes afegãos que vinham para o Paquistão e o fim da intromissão imperialista no Afeganistão por parte do Paquistão e de outros países. Uma resolução foi aprovada em apoio ao movimento em Gwadar, no qual milhares de homens e mulheres locais se manifestaram contra a exploração pela classe dominante. A resolução mencionou especificamente que o Estado deve deter seus ataques brutais e suas medidas opressivas contra o movimento, que convergiu em protesto nas últimas três semanas.

Também foi aprovada uma resolução exigindo salários iguais para as trabalhadoras, bem como o fim do assédio e da exploração sexual das mulheres nos locais de trabalho dos setores público e privado.

O secretário da RWF, Paras Jan, também leu mensagens de solidariedade para esta convenção de organizações de trabalhadores de todo o mundo. Uma mensagem especial de Rashpal Singh, secretário-geral do Sindicato Kirti Kissan do Punjab indiano, foi lida. Este sindicato fez parte de uma luta de um ano dos agricultores e que derrotou o regime de Modi na Índia.

Mensagens de solidariedade de líderes da UNISON e UCU Cambridge na Grã-Bretanha também foram lidas, assim como uma mensagem de Mario Iavazzi da CGIL na Itália, sob aplausos estrondosos do público.

O novo órgão central do RWF também foi anunciado na convenção, o que foi muito bem recebido pelos participantes. O Dr. Aftab Ashraf foi eleito presidente central, Karim Parhar do Baluchistão como secretário-geral, Safdar Jabbar de Karachi como vice-presidente sênior, Yasir Irshad da Caxemira como vice-presidente, Asif Lashari de D.G. Khan como Secretário de Informação, Siddique Jan de Pashtoonkhwa como Secretário Adjunto e Adeel Zaidi como Secretário de Finanças.

Falando no evento, membros do recém-anunciado órgão central enfatizaram o papel das ideias socialistas na conquista da vitória final da classe trabalhadora e apontaram que a emancipação completa das massas trabalhadoras só pode ser alcançada por meio da revolução socialista.

Após a convenção, uma passeata de protesto foi realizada, levantando a principal demanda de aumentos salariais atrelados à inflação. O moral dos participantes estava extremamente alto durante a manifestação e suas palavras de ordem foram muito apreciados pelos transeuntes, muitos dos quais aderiram!

Preparativos para a convenção central

A crise econômica global agravada pela pandemia do coronavírus foi marcada pelos ataques mais severos aos padrões de vida das massas trabalhadoras do Paquistão. O país também está passando pelo programa de empréstimos do FMI mais cruel de toda a sua história. A gravidade da situação pode ser avaliada pelo fato de que, nos últimos quatro anos, a rupia do Paquistão perdeu 75% de seu valor, sofrendo uma desvalorização de 15% apenas nos últimos três meses.

Há uma onda crescente de cortes salariais, de demissões forçadas, de privatização, de tributação indireta, de enormes medidas de aumento de preços de combustível e eletricidade e de austeridade. Tudo isso tornou a vida da classe trabalhadora um inferno. Mas os trabalhadores também resistiram corajosamente a esse ataque. O ano anterior foi marcado por enormes protestos de frente única de vários sindicatos e associações de trabalhadores por aumentos salariais e outras reivindicações.

A convenção central da RWF foi planejada com a intenção explícita de dar a essa onda de protestos um programa e estratégia de luta adequados, e introduzir nela as ideias do socialismo revolucionário. Antes da convenção central, as convenções em nível de cidade foram realizadas em Hyderabad, Karachi, Quetta, Zhob, Loralai, Multan, Bahawalpur, D.G. Khan, Kamoki, Islamabad, Peshawar, Timergara, Lower Dir e Rawlakot.

Todas essas convenções foram precedidas por uma campanha entusiástica dos camaradas da RWF, e tiveram a participação de muitos trabalhadores e representantes sindicais. Especialmente notável foi a convenção em Karachi, que contou com a presença de operários das áreas industriais de Landhi, Korangi e Port Qasim.

Dezenas de milhares de panfletos de convite foram distribuídos por todo o país para propagar a mensagem da RWF entre os trabalhadores, convidando-os para a convenção central. Milhares de pôsteres foram colados em áreas industriais e empresas do setor público em todas as grandes cidades do país. Relatórios trabalhistas especiais foram impressos no Worker Nama mensal (jornal da RWF), e programas especiais foram transmitidos em nosso canal no YouTube/Facebook, Mazdoor TV.

Esta campanha nos deu uma excelente oportunidade de espalhar nossa mensagem revolucionária às camadas mais avançadas da classe trabalhadora. Todos os camaradas da RWF estão confiantes de que esta convenção central dos trabalhadores nos fornecerá uma base sólida para construir as forças do marxismo no Paquistão, para que possamos nos preparar para derrubar a tirania do capital de uma vez por todas.

TRADUÇÃO DE FABIANO LEITE.
PUBLICADO EM MARXIST.COM

Deixe Seu Comentário