O bolchevismo e a imprensa operária

Para Lenin, a construção da democracia operária andava junto com a existência de uma rede de organizações operárias com jornais de operários. O jornal Pravda, capitaneado por ele, almejava construir um fórum de informações vindas de fábricas e escritórios de toda a Rússia, para levar às massas notícias sobre suas condições de vida e das lutas dos trabalhadores.1 Devia-se fortalecer a consciência dos proletários e ampliar a sua luta.2 Nas suas páginas eram expostas denúncias, cartas de leitores, informações sobre greves, manifestações, dados de coletas de dinheiro, campanhas eleitorais, salariais etc.

Quais são as opiniões que sustentam a maioria do proletariado? Sem saber a resposta para essa pergunta não é possível construir a unidade dos trabalhadores. E sem unidade de ação, ou seja, sem a minoria se subordinando à maioria, “não há salvação”3. As duras condições de existência costumam separar e dispersar os trabalhadores de diversas profissões e localidades, mas a simples decisão de expor no jornal cartas de operários de todos os lugares do país é capaz de desfazer essa divisão e criar um segmento ativo e sólido da classe.4 Os principais inimigos da unidade eram os periódicos burgueses e os “liquidacionistas” do partido operário, como Lenin chamava os mencheviques (que tinham seu próprio periódico, o Luch) e a intelectualidade liberal.5 O Pravda deveria, além do que dissemos acima, combater as mentiras dos burgueses e de todos aqueles que colaboravam, intencionalmente ou não, para a divisão das fileiras dos trabalhadores.

Construir uma nova Rússia, controlada pelos trabalhadores, estava intimamente ligado a construir um jornal operário, o que passava por conquistar o apoio dos trabalhadores para ele. Esse era o combate de Lenin. É importante destacar que no mesmo ano da fundação do Pravda, 1912, foi fundado o Partido Bolchevique. A tradição bolchevique nos deixa o legado de que a possibilidade de um partido operário com influência de massas se fundamenta na centralidade de suas operações em torno da construção e difusão de um periódico operário.

Essa centralidade se expressava no balanço público das “coletas” do jornal. As coletas eram atividades que consistiam na ida dos militantes às empresas, ou na formação de grupos de trabalhadores nas próprias empresas, para financiar e difundir o Pravda. A coleta não era uma simples atividade de venda direta ao consumidor, mas o estabelecimento de bases para a construção do partido. Quando os operários se acostumam a apoiar um periódico, podemos até concluir que estão apenas pagando assinaturas e contribuindo para uma “marca” de jornal.  Mas essa é uma visão estreita. Na verdade, ao apoiarem os bolcheviques, estão se aglutinando em torno de uma tendência ideologicamente coesionada do movimento operário. É através da adesão ao periódico operário que é possível constatar o despertar dos trabalhadores para a luta consciente.6

Ao fazer o balanço sobre as coletas e assinaturas do Pravda, Lenin disse que “Estas cifras dizem com bastante eloquência quem é o dono, com que fundos o Pravda se sustenta, e em que medida eles estão vinculados às massas operárias.7 Ou seja, uma coisa é a declaração de um comitê editorial de que o jornal “x” é um “periódico operário”, outra completamente diferente é a confirmação de um caráter operário pelo conteúdo geral, pelo círculo de leitores procedentes da classe operária, pelo apoio que prestou aos operários, e, especialmente, pela quantidade de artigos e cartas de operários.8

Reproduzo abaixo9 parte de um balanço feito por Lenin:

Os números sobre as fontes de fundos também nos revelam o status de classe dos leitores e compradores dos jornais. As contribuições voluntárias são feitas apenas por leitores regulares, que mais inteligentemente simpatizam com a tendência de determinado jornal. Por sua vez, a tendência de determinado jornal, quer queira quer não, “se adapta” espontaneamente ao segmento mais “influente” de seu público leitor.

O Pravda expunha de maneira aberta seus relatórios de coleta, impressos na própria edição. Para a direção de um periódico burguês, seu sucesso está relacionado à quantidade de assinaturas realizadas, vendas de exemplares e a quantidade de anunciantes interessados em publicar no jornal, independentemente da sua classe. Para a direção de um periódico operário bolchevique, seu sucesso deve ser medido pela classe que apoia em maior quantidade a sua construção.

A experiência da batalha pelo Pravda nos ajuda a olhar para o Brasil hoje. Os maiores partidos com base operária (PT e PCdoB) não se ocupam em construir um veículo de comunicação operário, unificado e financiado por operários. Logo, seus websites e periódicos impressos também não pretendem ter influência direta dentro das empresas. As vias das direções desses partidos se tornaram outras, muito mais ligadas ao aparelho do Estado e aos aparelhos partidário e sindical – fortemente atrelados ao Estado. Contudo, ao se afastarem do marxismo e abandonarem a consciência dos trabalhadores à própria sorte das ideias da classe dominante, estão apenas cavando a própria cova, onde serão enterrados junto com toda a velharia burguesa.

O esforço coletivo da Esquerda Marxista para construir o jornal Tempo de Revolução e o website marxismo.org.br busca se inserir na tradição bolchevique, forjando uma tendência do movimento dos trabalhadores dedicada à unidade na ação contra os capitalistas e seu Estado. Convidamos aos interessados em apoiar nossas publicações a realizar uma assinatura clicando aqui, ou a contribuir diretamente para a construção do periódico operário, entrando em contato através do e-mail [email protected]

Notas:

1 https://www.marxists.org/archive/lenin/works/1912/aug/29.htm

2 Lenin, V.I. La información de classe. In: La classe obrera y la prensa obrera. Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 139.

3 Lenin, V.I. La información de classe. In: Aniversario de Pravda (Apoyo obrero al periódico obrero). Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 134.

4 Lenin, V.I. La información de classe. In: Los obreros y Prava. Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 128.

5 Lenin, V.I. La información de classe. In: Algo acerca de los resultados y los hechos. Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 133.

6 Lenin, V.I. La información de classe. In: Los obreros y Prava. Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 128.

7 Lenin, V.I. La información de classe. In: Aniversario de Pravda (Apoyo obrero al periódico obrero). Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 130, tradução nossa.

8 Lenin, V.I. La información de classe. In: Aniversario de Pravda (Apoyo obrero al periódico obrero). Buenos Aires: Argentina Editores S. A, 1973, p. 129.

9 Quadro disponível em: https://www.marxists.org/archive/lenin/works/1914/jun/14.htm, tradução de https://lavrapalavra.com/2021/07/27/notas-de-lenin-sobre-a-imprensa-operaria/

Deixe Seu Comentário