Foto: Júlio Cavalheiro/Governo de SC

Não somos gado para sermos imunizados como rebanho

Em coletiva de imprensa após reunião com o governador de Santa Catarina Carlos Moisés (PSL) nessa quarta-feira (27), o empresário e prefeito de Joinville, Udo Döhler (MDB), expôs a defesa da “imunidade de rebanho”, ou seja, que toda a população seja contaminada o mais rápido possível. Nas palavras do empresário: “Há uma subnotificação e estamos resolvendo isso agora. Estamos realizando 3 mil testes, 1 mil já aconteceram e pretendemos chegar a 65 mil avaliações. É essencial que o vírus alcance a população como um todo para que ela adquira anticorpos”. Ele também disse que “Ninguém morre abaixo dos 60 anos”, o que é uma descarada mentira. 

Na reunião com o governador, Udo insistiu na retomada do transporte coletivo, parado por conta da pandemia há mais de dois meses, também defendeu a reabertura de centros de educação infantil, alegando que os pais não teriam onde deixar os filhos com a reabertura total da economia.

Basicamente, o que os empresários de Joinville desejam foi exposto pelo prefeito, que toda a classe trabalhadora se exponha ao risco de contágio da doença. Ele alegou que somente 43% dos leitos de UTIs estão ocupados e que a taxa de contaminação é baixa na cidade. A Prefeitura, no entanto, não divulga a taxa de ocupação de leitos diferenciando rede pública e privada. E, em Joinville, 70% da população depende do SUS. Udo também “esquece” que, com os números crescendo em cidades próximas, logo as demandas da região se voltarão para Joinville.

O prefeito espera que as empresas façam testes para ajudar, sendo que as mesmas são as mais interessadas no retorno econômico, independente das condições de saúde. A burguesia parte para a ofensiva contra nossa classe, não devemos ter nenhuma ilusão que os empresários ajudarão a salvar a vida dos trabalhadores

O prefeito ainda admitiu que os dados apresentados pela Secretaria de Saúde são incorretos por conta da subnotificação. Os dados “oficiais” da quarta-feira (27/5) eram de 392 casos confirmados de Covid-19 e 20 mortes. Pelo que foi colocado pelo próprio prefeito, esses números são muito maiores.

Com o vírus circulando sem nenhum controle e os dados atuais incorretos, as reaberturas propostas por Udo levarão a população de Joinville a uma exponencial curva de contaminados e mortos, superlotando hospitais e cemitérios.

A única forma que temos de combater essa chacina que defendem Udo, Moisés e Bolsonaro é, nos setores que estão sendo obrigados a trabalhar, organizar greves e ocupações em defesa do direito de isolamento social completo enquanto houver o risco pandêmico, com garantia dos empregos e de que os salários integrais sejam pagos pelas empresas e pelo governo. Da mesma forma, é preciso exigir que o auxílio seja ampliado em valor e concedido a todos os que precisam. Os únicos que podem resolver essa crise são os trabalhadores organizados pelo Fora Bolsonaro, Moisés e Udo, por um governo dos trabalhadores sem patrões nem generais.

Se você concorda, entre em contato e faça parte de um Comitê de Ação Fora Bolsonaro. 

Artigo produzido após discussão no Comitê de Ação Fora Bolsonaro – Joinville, Itajaí e Rio Negrinho (SC). 

Deixe Seu Comentário