Grã-Bretanha: crise do petróleo revela que o capitalismo está rodando no vazio

Com as bombas de gasolina em toda a Grã-Bretanha secando e engarrafamentos nas estradas, os Conservadores estão cambaleando de uma crise para outra. A anarquia do mercado está causando caos na vida dos trabalhadores. Todos os ingredientes estão sendo preparados para uma explosão social.

Três anos atrás, o parlamentar conservador e performático de extrema direita David Davis prometeu que seu partido não presidiria um país “mergulhado em um mundo ao estilo Mad Max emprestado da ficção distópica”. Mas os últimos dias trouxeram essa ficção distópica rugindo à vida.

Os centros das cidades do interior estão congestionados por pessoas em filas para obter combustível, com 90% dos postos de gasolina sofrendo com a falta de motoristas de caminhões-pipa petroleiros.

Estão ocorrendo brigas nos pátios de entrada dos postos de gasolina. Foram trocados socos em bombas de gasolina em todo o país, e um motorista chegou a puxar uma faca para um paraquedista saltador de fila no sudeste de Londres na manhã de terça-feira.

A Polícia de Essex relatou mais de 100 999 [número de emergência na Inglaterra e Reino Unido] e 101 chamadas sobre filas em postos de gasolina em apenas 24 horas. E a polícia foi mobilizada em Londres para manter a ordem nas estradas bloqueadas.

Caos

Já estão faltando ambulâncias. Uma equipe de ambulância relatou ter dirigido por uma hora inteira procurando combustível, com a única bomba que encontraram limitando-os a 30 litros. De acordo com o presidente da Petrol Retailers’ Association, mais serviços de emergência poderão ser afetados em breve.

A equipe de atenção médica não pode visitar os pacientes. Uma empresa em Kent alertou que os pacientes terminais sofrerão se não puderem acessar os tratamentos de controle da dor. Outra empresa de assistência médica em Birmingham alertou que sua equipe enfrentava a necessidade de caminhar ou pedalar longas distâncias para visitar os pacientes.

Foi relatado que os chefes de logística alertaram que 1 em cada 5 entregas de alimentos e outras mercadorias não chega aos supermercados a tempo ou simplesmente não chega. Prateleiras vazias agora são uma característica regular de todos os grandes varejistas.

As escolas estão pensando em voltar às aulas online porque os pais não podem deixar seus filhos e os professores não podem trabalhar. Uma diretora de escola em Surrey relatou que está pensando em usar dinheiro da escola para pagar táxis para trazer os funcionários ao trabalho.

O exército está em estado de alerta máximo desde a manhã da segunda-feira. Eles estão supostamente preparados para implementar a Operação Escalin, que forneceria tropas treinadas na direção de veículos pesados ​​para entregar gasolina. O pessoal do Ministério da Defesa já foi convocado para administrar o treinamento acelerado para novos motoristas de caminhão.

Galinhas degoladas

O governo do Partido Conservador e a classe capitalista que ele representa estão correndo como galinhas degoladas. Eles realmente não entendem por que isso está acontecendo e estão divididos sobre como oferecer uma resposta.

Os ministros dos Transportes, do Comércio e dos Assuntos Internos querem que trabalhadores britânicos ocupem as vagas de motorista de caminhão. Eles estão pedindo às empresas que melhorem os salários e as condições de trabalho dos motoristas. Mas os chefes das indústrias, que dependem de veículos pesados, estão alertando que eles não entrarão em uma guerra de licitações para motoristas, com várias grandes empresas dizendo que fechariam se fossem forçadas a pagar mais aos trabalhadores.

Enquanto isso, os ministros do Meio Ambiente e do Gabinete do Governo querem se concentrar em recrutar mais motoristas de caminhão do exterior para preencher a lacuna. Mas o chefe da European Road Haulers ’Association, que representa 200 empresas de transporte rodoviário em todo o continente, destacou que, uma vez que os salários e as condições dos motoristas de veículos pesados ​​são muito melhores na Europa do que na Grã-Bretanha, muito poucos se moveriam pelo Canal da Mancha.

Com os dois lados em um beco sem saída, o governo chegou a um acordo que não satisfaz ninguém e não resolve o problema.

Em um golpe para os defensores do mercado livre, a lei da concorrência foi suspensa para que as empresas petrolíferas possam colaborar na distribuição do petróleo de forma mais eficaz. Portanto, vemos como o “mercado livre”, tão amado pelas grandes empresas quando a economia está crescendo, foi expulso pela janela em uma crise.

O liberalismo econômico pode ser bom em gerar lucros para os patrões em um boom, mas a “mão invisível” do mercado transforma o boom em quebra da noite para o dia. Quando se trata de garantir que a economia realmente funcione no interesse da classe trabalhadora, é apenas o planejamento centralizado que pode entregar os produtos.

E, em um golpe para os Brexiteers, 5.000 vistos temporários serão emitidos para motoristas estrangeiros, com duração até a véspera de Natal. Além desses, 40.000 testes de direção em veículos pesados, interrompidos pela pandemia, serão acelerados.

As empresas foram rápidas em apontar que a falta de motoristas é cerca de 90.000 a menos do que o necessário. Isso é o dobro da lacuna que o governo está planejando, com a demanda devendo aumentar até o Natal.

Esta última crise está fragmentando o já frágil apoio ao governo do Partido Conservador. As divisões no gabinete são acompanhadas por uma surra nas pesquisas. De acordo com a Opinium, 67% das pessoas acham que o governo lidou mal com a situação. Isso inclui 59% dos eleitores dos conservadores!

Em um golpe para Boris “Get Brexit Done” Johnson, 68% das pessoas pensam que o Brexit é parcialmente culpado por esta crise, incluindo 52% dos eleitores que votaram a favor! Seu índice de aprovação pessoal atingiu novas mínimas, caindo de 47% em março para apenas 38% agora.

Como sua marca registrada, Keir Starmer [líder do Partido Trabalhista] passou o seu tempo durante esta crise atacando a esquerda trabalhista na conferência do Partido em Brighton, em vez de lutar contra os conservadores. Tudo o que ele disse é que a resposta do governo até agora tem sido “muito pequena”, o que dificilmente é uma oposição robusta.

Em uma pesquisa divulgada na segunda-feira, apenas 25% das pessoas disseram acreditar que os trabalhistas deveriam formar o próximo governo. Mas apenas 32% achavam que os conservadores deveriam ser reeleitos. Esta crise, a mais recente de uma série desde a retirada do Afeganistão às falências de empresas de energia, criou uma desilusão generalizada tanto com os conservadores quanto com o Partido Trabalhista de Starmer.

Um sistema agonizante

É claro que os estrategistas do capital não entendem realmente o que está acontecendo de errado. Alguns culpam a Covid-19, enquanto outros culpam o Brexit.

Alguns dizem que a falta de motoristas é um fenômeno temporário confinado a um setor. Mas outros apontam que a escassez de força de trabalho está atingindo outros setores e outros países. Uma pesquisa nos Estados Unidos descobriu que a proporção de pequenos varejistas com dificuldades para contratar passou de 47% para 62% nos últimos três meses.

Neste outono, as frutas apodrecerão nos campos por falta de colhedores. Os matadouros funcionarão abaixo da capacidade por falta de trabalhadores. Tudo isso enquanto milhões de pessoas estão desempregadas e milhões mais estão subempregadas e lutando por salários de meio período.

A razão pela qual os estrategistas do capital não entendem o que está acontecendo é porque eles não podem ver o quadro geral.

Não será um pequeno ajuste neste ou naquele detalhe que resolverá esses problemas. O que estamos testemunhando são convulsões nas cadeias de abastecimento globais, um colapso no investimento produtivo em toda a linha e um sentimento crescente entre os trabalhadores de que eles não estão dispostos a trabalhar por salários baixos e em condições precárias.

Esses são os espasmos de um sistema capitalista chegando ao fim de sua vida. Os conservadores estão divididos e impotentes porque estão lutando por uma saída, quando não há nenhuma saída com base no capitalismo. Isso vale para Starmer.

A anarquia do sistema capitalista, que se move pela busca do lucro em vez de pela satisfação das necessidades, está levando à escassez, ao aumento dos preços e à queda dos padrões de vida para milhões de pessoas. A necessidade de uma economia socialista, planejada sem necessidade de lucrar, nunca foi tão clara.

O clima de raiva está crescendo. Brigas em postos de gasolina são um sinal claro de que as pessoas estão em seus limites. Enfrentamos um inverno de escassez, aumento dos preços da energia, cortes de benefícios, aumentos de impostos e pressão extra sobre os serviços de saúde. Nossas costas estão contra a parede e as pessoas não aguentam muito mais isso. Todos os ingredientes estão aí para uma grande explosão social.

A única maneira de avançar é varrer o sistema capitalista, seus patrões, latifundiários e políticos, para a lata de lixo da história. Precisamos canalizar nossa raiva para a luta pelo socialismo.

TRADUÇÃO DE FABIANO LEITE.
PUBLICADO EM MARXIST.COM

Deixe Seu Comentário