Egito: solidariedade com a greve dos trabalhadores da Universal

Desde 16 de setembro, mais de 2.500 trabalhadores da fábrica da empresa de eletrodomésticos Universal estão engajados em uma greve heroica na zona industrial da Cidade 6 de Outubro, perto do Cairo.

Os trabalhadores iniciaram a greve após uma série de ataques às condições de trabalho por parte dos patrões. Os salários não são pagos há três meses e o adicional de periculosidade foi totalmente retirado. Este último é especialmente importante, uma vez que a fábrica sofreu um aumento do número de acidentes de trabalho, desde amputação de dedos e mãos a trabalhadores que sofreram ataques cardíacos. As condições pioraram tanto que 15 morreram nos últimos três meses, incluindo dois que se suicidaram.

Esses ataques ocorrem em um momento em que as massas no Egito já estão sentindo o efeito das medidas de austeridade brutais do governo. As condições de vida dos trabalhadores e dos pobres caíram significativamente no período recente, como resultado das políticas de “ajuste estrutural” impostas pelo Fundo Monetário Internacional, com o apoio da classe dominante egípcia e da ditadura militar que a protege.

Os próprios militares desempenharam um papel particularmente pernicioso na proteção dos capitalistas durante a greve. Três operários de fábrica, assim como um de seus filhos, foram “presos” em suas casas por supostamente incitar a greve e interromper o trabalho. Os trabalhadores agora ameaçam fazer uma manifestação, em meio a tensões crescentes com a polícia e a escalada da repressão.

Esses eventos desacreditaram ainda mais o ditador Abdel-Fattah el-Sisi, que afirma representar as massas egípcias e estar acima da luta de classes. Em última análise, a ditadura militar apenas defenderá os interesses dos capitalistas egípcios e existe apenas para reprimir a classe trabalhadora.

Apesar da constante repressão da ditadura militar, a classe trabalhadora egípcia tem se mostrado disposta a lutar pela defesa dos padrões de vida e das condições de trabalho. Os trabalhadores egípcios têm uma longa tradição de luta contra os patrões e continuarão a lutar pela defesa de seus direitos. Nós, os marxistas, oferecemos nosso total apoio aos trabalhadores da Universal e a outros engajados na luta para preservar seus meios de subsistência em face dos ataques brutais dos capitalistas e da ditadura militar.

Essas lutas econômicas oferecem experiências e lições muito importantes para a classe trabalhadora, experiências que serão cruciais nas futuras lutas revolucionárias no Egito.

Apelamos para que as demandas dos trabalhadores sejam atendidas. Se os empregadores alegarem que estão insolventes, os trabalhadores devem exigir que abram os livros e revelem os segredos financeiros da empresa. Se a empresa for à falência, deve ser confiscada e colocada sob o controle dos trabalhadores, que são os mais capazes de administrá-la.

Atualmente, o exército está cercando a fábrica, isolando os trabalhadores do mundo exterior. Devemos ser sua voz neste período, defendendo e divulgando sua mensagem o máximo possível. Apelamos à classe trabalhadora na região e em todo o mundo para ajudar a apoiar seus camaradas no Egito. Apelamos à mais ampla campanha de solidariedade internacional com os trabalhadores da empresa Universal, face à campanha de repressão e restrições que lhes é imposta pelo Estado, e apelamos à mais ampla campanha para exigir a libertação dos trabalhadores detidos e a suspensão dos processos de acusação.

  • Pela libertação de detidos!
  • Pela mais ampla campanha de solidariedade com os operários da Universal!
  • Não à retenção de salários!
  • Pelo controle dos trabalhadores de todas as fábricas ameaçadas de falência!
  • Viva a classe trabalhadora egípcia!
  • Abaixo os governos capitalistas!
  • Abaixo a ditadura militar!
  • Não há solução senão a vitória da revolução socialista liderada por um governo operário!

O que você pode fazer para apoiar a luta:

  1. Assine a moção conforme modelo abaixo e envie para a empresa no Facebook: https://www.facebook.com/UniversalHomeAppliances, e copie para [email protected] e [email protected]
  2. Aprove a moção em seu sindicato ou filial partidária e envie para os mesmos endereços. Não se esqueça de enviar a mensagem para [email protected] e [email protected], pois isso nos permitirá aumentar a pressão pública sobre a empresa.

Modelo de moção:

Os trabalhadores da fábrica de eletrônicos “Universal“, na cidade do Cairo, 6 de Outubro, estão em greve desde 16 de setembro. Depois de suportar três meses de salários retidos e condições de trabalho perigosas, eles corajosamente decidiram fazer uma greve por seus direitos básicos. Depois que 15 de seus colegas de trabalho morreram nos últimos três meses em condições de trabalho prejudiciais e muitos outros sofreram ferimentos graves, eles estão lutando não apenas por um salário justo, mas para proteger suas vidas e a de seus colegas de trabalho. Nessas condições de trabalho perigosas, é ainda mais vergonhoso que a empresa tenha retirado todo o subsídio de periculosidade existente no período anterior.

Enquanto lutam esta batalha de vida ou morte, eles têm sido continuamente alvo de ataques repressivos da polícia e do exército. Três grevistas da liderança e um de seus filhos foram sequestrados e estão detidos pelo crime de lutar por seus direitos. Atualmente, os trabalhadores estão cercados pelo exército, sem meios de levar sua mensagem ao mundo. Nessas condições brutais, a solidariedade internacional é a ferramenta mais importante que possuem.

Apelamos à Universal para atender imediatamente às demandas dos trabalhadores em greve. Todos os salários retidos devem ser pagos, o adicional de periculosidade deve ser restabelecido, as condições de trabalho na fábrica devem ser melhoradas e tornadas seguras. Também exigimos o fim da vitimização dos grevistas. Os atuais detidos devem ser liberados imediatamente. São presos políticos, que não cometeram nenhum crime.

Solidariedade!

TRADUÇÃO DE FABIANO LEITE.
PUBLICADO EM MARXIST.COM

Deixe Seu Comentário