Início / Blog Mulheres Pelo Socialismo / Mulheres pelo Socialismo: um lugar para lutar!

Mulheres pelo Socialismo: um lugar para lutar!

Ao longo do primeiro semestre de 2018, a Esquerda Marxista (EM) irá realizar o lançamento de Mulheres pelo Socialismo. Essa decisão se deu após anos de discussão e acúmulo teórico, organizado pela Comissão de Mulheres da organização.

Mais do que lançar uma sigla em meio às inúmeras organizações de mulheres que vêm sendo criadas nas últimas décadas, nosso objetivo é construir um lugar no qual trabalhadoras e estudantes possam se organizar em luta contra o capitalismo.

Conforme expresso em nosso Manifesto, acreditamos, como mulheres comunistas, que a luta pela emancipação da mulher é a luta pela emancipação da humanidade. E que isso só será possível através da superação do capitalismo. Afirmamos também a importância da luta por uma pauta de reivindicações transitórias, que sejam capazes de conectar as necessidades imediatas das mulheres trabalhadoras à luta por uma sociedade socialista.

O imenso mosaico de organizações feministas, com suas diversas bases teóricas e ações políticas, ao mesmo tempo em que atrai parte da juventude, reforça atitudes individualistas que tiram o foco da luta de classes. A luta contra o homem – ser genérico, machista e opressor à priori; a exclusão de pessoas em função de sua orientação sexual ou identidade de gênero; o discurso de ódio contra mulheres trans; a romantização da prostituição e a supervalorização do empreendedorismo feminino  – são alguns exemplos de políticas desenvolvidas por algumas vertentes do movimento feminista atual, que desorientam a luta fundamental contra o modo de produção capitalista.

Sem desconsiderar a importância dos movimentos feministas para a história humana, e considerando-os como, em muitos casos, a porta de entrada das meninas e mulheres no mundo político, Mulheres pelo Socialismo tem como base política a teoria marxista que, a partir das contribuições de Marx e Engels, foi desenvolvida por valorosos militantes marxistas ao longo da história, como Clara Zetkin, Alexandra Kollontai, Rosa Luxemburgo, Trotsky e Lênin.

Buscamos a construção de uma organização que seja um instrumento de luta nas escolas, universidades, sindicatos, fábricas, nos bairros e comunidades onde existam jovens e trabalhadoras dispostas a construir o futuro.

Mulheres pelo Socialismo será um espaço de discussão e construção das pautas transitórias e da ampliação da consciência, intensificando nossa força e reafirmando o papel da luta de classes como motor da história.

Acompanhe o cronograma de lançamento em cada cidade e junte-se às Mulheres pelo Socialismo.

Deixe seu comentário

Leia também...

Nem presa, nem morta: pela legalização do aborto!

O Supremo Tribunal Federal (STF) realizou audiências públicas nesta sexta (3/8) e segunda (6/8) para …