Download WordPress Themes, Happy Birthday Wishes

Canadá: Polícia de Hamilton apresenta acusações falsas contra militante de Fightback

Na manhã de terça-feira, 22 de outubro, Max, um camarada de Fightback (a CMI no Canadá) foi preso por policiais à paisana em frente à sua casa em Hamilton. Sua família foi obrigada a ver Max algemado e forçado a entrar na viatura policial.

Max permaneceu sob custódia policial por quase 10 horas. Durante esse tempo, ele foi mantido em uma cela da polícia e sujeito a interrogatório. Finalmente, Max foi informado de que estava sendo acusado de intimidação e agressão devido a sua participação em um protesto anti-Bernier realizado no final de setembro. Max estava protestando contra os mesmos indivíduos que enviaram uma enxurrada de mensagens de ódio que obrigaram um restaurante administrado por refugiados sírios em Toronto a ser temporariamente fechado. Fightback de Hamilton divulgou uma declaração e um vídeo na época do protesto anti-Bernier, que mostra claramente que Max não é culpado dessas acusações.

Você pode ler essa declaração aqui

Fightback rejeita resolutamente as acusações contra Max, as quais não têm, de fato, absolutamente nenhuma base e apela à solidariedade da esquerda e do movimento trabalhista.

Desde então, soubemos que outros três ativistas de esquerda também foram presos e acusados pela polícia de Hamilton. Mais prisões e acusações podem acontecer em breve. Acreditamos que este é um ataque politicamente motivado. Embora vários ativistas de esquerda tenham sido acusados, nenhuma acusação foi feita contra membros da extrema-direita, apesar das evidências em vídeo mostrando-os atacando ativistas no protesto. Isso vem na sequência de uma longa história da polícia de Hamilton perseguindo a esquerda, enquanto ignora as ações violentas da extrema-direita, como foi o caso no Hamilton Pride este ano.

Isso também acontece poucos meses depois que o conselho da cidade de Hamilton e o prefeito Fred Eisenberger propuseram uma repugnante e antidemocrática lei, sob a falsa bandeira de deter a propagação do ódio. A regulamentação proposta é tão proibitiva (proibindo o uso de faixas e equipamentos de amplificação de som, distribuição de panfletos e todas as atividades “disruptivas”) que impede efetivamente todas as formas de protesto político e organização política. Não é difícil de se ver que isso seria aplicado desproporcionalmente à esquerda.

Não é uma coincidência que agora estejam apresentando acusações contra Max, uma figura bem conhecida no movimento trabalhista e antirracista. Não é, portanto, uma coincidência.

Eles estão tentando dar um exemplo para intimidar a esquerda e o movimento trabalhista mais amplo a fim de desencorajar nossa organização. Como tal, essas acusações devem ser contestadas pelo movimento trabalhista, pelas organizações de esquerda e pela comunidade em geral. A perseguição direcionada aos ativistas hoje será repetida contra outros ativistas no futuro, e não podemos deixar que isso aconteça sem oposição.

Para apoiar Max, recomendamos que enviem cartas aos seguintes destinatários, e também para o CC Fightback em Fightback@marxist.ca:

Prefeito de Hamilton City, Fred Eisenberger: mayor@hamilton.ca

Conselho de Serviços da Polícia de Hamilton: lois.morin@hamilton.ca

Serviço de Polícia de Hamilton: info@hamiltonpolice.on.ca

Ou ligue para o escritório do chefe de polícia pelo número 905-546-4710

Por favor, sinta-se livre para usar a seguinte carta modelo:

A quem possa interessar,

Enviei-lhe este e-mail para declarar minha oposição às acusações injustas que foram recentemente apresentadas contra Maximiliano Herrera e três outras pessoas em relação a um protesto contra o ódio realizado em 29 de setembro no Mohawk College.

Essas acusações são infundadas. Também acho preocupante que nenhuma acusação tenha sido feita contra nenhum agitador de extrema-direita presente em 29 de setembro, apesar de haver evidências em vídeo deles praticando atos violentos. Isso sugere que a polícia de Hamilton está deliberadamente visando ativistas de esquerda, enquanto fecha os olhos para os violentos vendedores de ódio. Isso é um insulto à justiça e uma mancha para a cidade de Hamilton.

Eu e muitos outros exigimos que todas as acusações apresentadas contra essas quatro pessoas sejam imediatamente retiradas, juntamente com a intimidação sistemática dos ativistas de esquerda em Hamilton.

Aguardo sua resposta.

Saudações,

[Seu nome]

Além disso, os custos da defesa legal de Max provavelmente serão bastante significativos, por isso estamos pedindo às pessoas do movimento que contribuam para um GoFundMe criado para ajudar Max e sua família a cobrir as taxas legais:
https://www.gofundme.com/f/legal-defense-fund-for-max

Uma ofensa a um é uma ofensa a todos!
Parem a perseguição estatal à esquerda em Hamilton!

Deixe Seu Comentário
x

Confira Também

Eleições e desgaste do reformismo no Uruguai

No dia 24 de novembro os uruguaios retornarão às urnas para decidir quem leva a ...