Áustria, Grécia e a crise na extrema direita

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 18, de 29 de outubro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

Nas últimas semanas, dois acontecimentos chamaram a atenção para a crise na extrema direita da Europa. Uma delas foi o julgamento de membros do Aurora Dourada, da Grécia, que funcionava como uma organização criminosa. O outro acontecimento foi a derrota eleitoral do Partido da Liberdade da Áustria (FPÖ) nas eleições regionais de Viena.

Na eleição em Viena, o Partido Socialdemocrata da Áustria (SPÖ) melhorou ligeiramente a sua votação, obtendo 41,6% dos votos, que lhe garantiram 46 lugares no parlamento, contra 39,6% e 44 em 2015.  O Partido Popular Austríaco (ÖVP), de direita, conseguiu 20,4% dos votos e 22 eleitos, quando, há cinco anos, havia obtido 9,2% e 7 deputados. Os Verdes (GRÜNE) também registraram um aumento, tendo obtido 14,8% dos votos e 16 mandatos, quando, em 2015, conseguiram 11,8% e 10 parlamentares.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário