A situação da USP diante da pandemia de Covid-19

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 21, de 10 de dezembro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

Na Universidade de São Paulo (USP), a pandemia escancarou as péssimas condições de trabalho as quais estão submetidos os funcionários terceirizados: completo descaso com a vida dos trabalhadores por parte da reitoria e o estado de abandono em que se encontram os alunos oriundos da classe trabalhadora, principalmente aqueles que vivem no Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo (CRUSP). Isso demonstra que as universidades brasileiras não são espaços neutros de produção científica, alheios às contradições existentes na sociedade de classes, mas lugares onde há confrontos entre interesses antagônicos a todo momento.

E o fato é que essa parcela extremamente pequena de jovens das classes menos favorecidas acabam abandonando seus cursos. Sem políticas de permanência, o acesso de alguns poucos jovens da classe trabalhadora é falso, a USP continua sendo para a elite.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário