A situação da classe operária na indústria de papelão no Ceará

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 18, de 29 de outubro de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

Desde o início da pandemia de Covid-19, milhões de pessoas no mundo têm vivenciado situações que nunca foram imaginadas, do distanciamento social à paralisação e fechamento de fábricas e comércio. No entanto, no Ceará, um dos estados brasileiros que tem adotado medidas mais rígidas de distanciamento e isolamento, a indústria de papelão não parou. Pelo contrário, com a emergente necessidade de embalagens para envio de produtos por delivery de fast-food; e-commerce, como camisas, livros e artigos no geral; e o transporte de produtos sanitários, como álcool em gel, detergentes, desinfetantes e etc., a indústria registrou um aumento enorme em sua venda e produção. E quem mais sentiu esse aumento foi a classe trabalhadora.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

Deixe Seu Comentário