Uma nova época para o Tempo de Revolução

Nos atos deste 1º de Maio, será divulgada a primeira edição impressa do jornal Tempo Revolução (Leia o editorial desta edição). Lançado em maio do ano passado, o jornal é o principal instrumento de difusão das posições políticas da Esquerda Marxista, constituindo-se em uma ferramenta de organização dos revolucionários e de propaganda das ideias marxistas.

O Tempo de Revolução substituiu nosso antigo jornal, o Foice & Martelo, cuja edição impressa havia sido suspensa em 2020, quando publicamos apenas edições digitais. O jornal Tempo de Revolução, publicado inicialmente apenas em formato digital, a partir de maio de 2021, foi um instrumento de difusão de campanhas e atividades da Esquerda Marxista ao longo do ano. Em suas páginas, difundimos a construção e as perspectivas do seminário nacional do “Fora Bolsonaro” e o conjunto de atos realizados em todo o país em defesa da derrubada imediata do governo pela ação das massas trabalhadoras.

O jornal digital também foi um importante espaço de formação teórica, auxiliando na divulgação dos módulos da Universidade Marxista Brasil (UMB), centrado no debate sobre a história das revoluções. E, como não poderia deixar de ser, o jornal também expressou nossa intervenção nas lutas concretas, sejam nos sindicatos, na juventude, e entre mulheres e negros. O jornal, enfim, expressou as lutas vivas dos trabalhadores, no Brasil e nos demais países onde se constrói a Corrente Marxista Internacional (CMI).

Desde abril deste ano, o Tempo de Revolução mudou sua política editorial. O jornal segue apresentando os principais acontecimentos da luta de classes e as posições dos marxistas em defesa da revolução. Em sua nova política editorial, o jornal procurará publicar textos de fundo mais teóricos, contribuindo para a formação da vanguarda revolucionária. O Tempo de Revolução, em sua primeira edição impressa, além de analisar a conjuntura política e o papel traiçoeiro das direções políticas e sindicais, discute temas relacionados ao meio ambiente e sua destruição pelo capitalismo, ao debate socialista da questão das mulheres, ao centenário de fundação do PCB e ao papel do imperialismo na guerra da Ucrânia.

As edições impressas do jornal serão difundidas em fábricas, empresas, universidades, escolas, enfim, na intervenção concreta da luta de classes. Além disso, continuaremos a vender assinaturas do jornal, nas modalidades digital e impressa. Os atuais assinantes da edição digital poderão migrar para a assinatura mista, contemplando também o jornal impresso (essas informações serão detalhadas em breve).

Convidamos todos a participar conosco dos atos do 1º de Maio (veja locais e horários abaixo). Nesses atos, levaremos nossas bandeiras e defenderemos nossa política de defesa de independência de classes, da necessidade de frente única das organizações dos trabalhadores e da construção de uma direção revolucionária em âmbito internacional. O Tempo de Revolução, a ser difundido amplamente pelos militantes da Esquerda Marxista, será o principal instrumento para a propagação de nossas ideias e para a construção de uma direção internacional dos trabalhadores.

Contribua para o fortalecimento da imprensa operária!

Assine, venda, divulgue o Tempo de Revolução!

Participe conosco do 1º de Maio!

  • São Paulo, SP: Praça Charles Miller (em frente ao estádio do Pacaembu), às 10h.
  • Marília, SP: ato no dia 2 de Maio, no campus da Unesp, às 10h.
  • Rio de Janeiro, RJ: Ato no Aterro do Flamengo, na altura da Rua Silveira Martins (Palácio do Catete), às 10h. Ponto de encontro: pista de skate do Aterro do Flamengo.
  • Macaé, RJ: Ato será no Centro da cidade.
  • Joinville, SC: Ato no Parque São Francisco de Assis, bairro Adhemar Garcia, às 15h.
  • Florianópolis, SC: Largo da Alfândega, às 10h.
  • Recife, PE: rua Alfredo Lisboa, 1152, no Recife Antigo, às 15h.
  • Belo Horizonte, MG: Ato político das Centrais Sindicais, na Praça Afonso Arinos, às 9h.
  • Porto Alegre, RS: no Espelho D’Água, Parque da Redenção, às 10h.
  • Bauru, SP: Sindicato dos Bancários.
  • Campinas, SP: ato no largo da Catedral.
Deixe Seu Comentário