Download WordPress Themes, Happy Birthday Wishes
Foto: FUP

Traição da direção da Federação Única dos Petroleiros

Não há outro nome, que não traição, para a proposta de acordo apresentada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) ao TST, ontem, dia 13 de fevereiro, para pôr fim à greve nacional dos petroleiros. A proposta da FUP chama a direção da Petrobras a negociar a demissão coletiva da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados (FAFEN-PR), ao invés de exigir o retorno de sua operação e assim garantir todos os empregos.

Os trabalhadores da Petrobras entraram em greve para deter o processo de privatização e garantir todos os empregos. Superaram todas as pressões sociais impostas para paralisar as operações e exigir a mudança de orientação do governo em relação às estatais.

Foto: Itamar Sanches/Sindipetro SP

Esta que já é a maior greve da categoria dos últimos anos ainda está ganhando forças com a adesão cada vez maior dos trabalhadores das áreas operacionais e começa a furar o bloqueio dos grandes meios de comunicação.

O excesso de responsabilidade por parte das direções sindicais em evitar o desabastecimento é também um sinal de debilidade das direções, pois sem impactar a produção não é possível colocar o governo e a direção da Petrobras de joelhos.

Se as bases não passarem por cima das direções, podemos sair da maior greve dos petroleiros dos últimos anos sem nenhuma garantia de que deteremos o processo de privatização. Seria um recuo sem precedentes na luta por uma Petrobras 100% estatal e a serviço dos trabalhadores de todo o mundo.

A luta ainda não acabou, os trabalhadores darão a última palavra.

Confira a proposta de acordo da FUP:

Acordo FUP
Deixe Seu Comentário
x

Confira Também

O “Caso Network” na Rússia: tortura, confissões forjadas e repressão

Em um escandaloso erro judiciário, um grupo de jovens ativistas de esquerda, na Rússia, recebeu ...