Teoria

Lênin e o leninismo: em defesa de suas lições

O marxismo é uma ciência. Dialética, em movimento. Essa ferramenta de compreensão totalizante da vida é desenvolvida historicamente por revolucionários que se prestaram, não somente a interpretar o mundo de diferentes maneiras, mas a transformá-lo. A ciência proletária não serve para construir mitos e ícones inofensivos. Ao contrário das adulterações feitas pela camarilha de Stalin, Vladimir Ilyich Ulyanov, o Lênin, não foi um quadro na parede, mas um dos arquitetos mais brilhantes do materialismo histórico-dialético, capaz de demonstrar a possibilidade da produção de um novo mundo, baseado no comunismo internacional.

Leia Mais »

Lênin e a atualidade de seu legado

Neste mês de janeiro, completam-se 100 anos da morte de Vladimir Lênin. Este marco deve inspirar debates ao longo do ano, tanto por acadêmicos como pelas organizações de esquerda, sejam aqueles que reivindicam o legado de Lênin, sejam os que o criticam. Mas não importa a perspectiva que se assuma em relação a Lênin, seu legado político e teórico para a história das lutas dos trabalhadores e do marxismo se constitui como central para compreender a realidade atual.

Leia Mais »

Mensagem de Trotsky após a morte de Lênin

No dia 21 de janeiro de 1924 chegava ao fim a vida do grande revolucionário marxista Vladimir Ilyich Ulyanov (Lênin), principal líder do Partido Bolchevique e da Revolução Russa de 1917. Logo após a sua morte, Leon Trotsky escreveu esta bela homenagem que reproduzimos aqui.

Leia Mais »

Cisões e expurgos nos primeiros anos do PCB

A construção de um núcleo bolchevique no Brasil desde o início se viu marcada por dificuldades internas e externas. Por um lado, os fundadores do Partido Comunista do Brasil (PCB) eram oriundos principalmente do anarquismo ou do sindicalismo revolucionário e, diferente de países como a Argentina, não havia na época qualquer experiência de construção de uma forte organização socialista no Brasil. Por outro lado, o PCB nasceu no início do processo de degeneração do PC russo e da burocratização da Internacional Comunista (IC).O PCB viu sua fragilidade teórica e organizativa ser esmagada, com a conivência da maioria de sua direção, pela imposição das normas stalinistas.

Leia Mais »

20 de Novembro da ponte pra cá

Distante dos iluminados salões e auditórios onde a pequena burguesia negra profere suas palestras e lança seus livros, esses que ditarão a mais nova moda “antirracista”, da ponte pra cá a população negra segue em bairros proletários mal iluminados, sofrendo amargamente com o desemprego, a piora das condições de vida e a violência policial.

Leia Mais »

Intifada, Primavera Árabe e Gaza – o inverno chegará para o imperialismo

Neste texto buscamos explicar de forma reduzida um pouco da história que levou à situação atual. Deixamos de lado algumas partes que são suficientemente explicadas pela maioria da publicações existentes – a criação de Israel a partir de um acordo entre Stálin e EUA, com o armamento das milícias terroristas de judeus que expulsaram os palestinos de suas casas, vilas e propriedades rurais em 1948 (Nakba), a guerra de 1967 quando Israel atacou os países árabes e aumentou seu território ocupando Gaza, a Cisjordânia e as colinas de Golam, as sucessivas guerras e outros enfrentamentos militares. Passaremos ao ponto em que as massas interviram nas lutas – as Intifadas. Depois, fazemos uma revisão breve da Primavera Árabe e então voltamos aos palestinos e a situação atual, no Oriente Médio e no mundo.

Leia Mais »

Sobre As Três Fontes e as Três Partes Constitutivas do Marxismo

Lênin apresentará resumidamente neste texto, os três pontos fundamentais do pensamento de Marx, que são, ao mesmo tempo, fontes e partes constitutivas dessa estrutura, são elas: o materialismo histórico-dialético, cujo desenvolvimento Marx estruturou a partir do materialismo de Feuerbach e de sua compreensão e crítica do complexo sistema filosófico de Hegel; o estudo do regime econômico, com a continuação das investigações de Smith e Ricardo, e o desenvolvimento de sua teoria da mais-valia como fonte de lucro dos acumuladores capitalistas e a doutrina da luta de classes, que Marx foi capaz de deduzir em suas incursões históricas, superando as doutrinas socialistas anteriores, consideradas utópicas.

Leia Mais »

A classe trabalhadora desapareceu? Fato e ficção

Quando me levanto de manhã, calço os sapatos e amarro os cadarços, muitas vezes me pergunto: “quem fez esses sapatos?”. Da mesma forma, quando me sento à mesa para tomar o café da manhã, me pergunto: “quem fez a mesa e quem trabalhou na fazenda que produziu a aveia do meu mingau?”. Quando vou fazer meu check-up anual no consultório médico local, me pergunto: “a que classe pertence a enfermeira?”. Você pode estar se perguntando por que me faço essas perguntas. Bem, é porque somos constantemente bombardeados pela ideia, aparentemente desafiando a minha experiência, de que a classe trabalhadora já não existe mais; que foi dissolvida e que agora somos todos, em sua maioria, de “classe média”.

Leia Mais »

Shostakovich, a consciência musical da Revolução Russa

Shostakovich nasceu em São Petersburgo, em 25 de setembro de 1906, e morreu em Moscou, no dia nove de agosto de 1975. Sua vida, por conseguinte, abrangeu a Revolução de Outubro, a guerra civil e as duas guerras mundiais, bem como os horrores do stalinismo, que mudou todo o curso de sua vida, assim como mudou o destino do país de Outubro, pisoteando as esperanças e os sonhos despertados pela Revolução Bolchevique. Tais eventos titânicos evocaram a música em escala equivalente e encontraram eco harmônico nas poderosas sinfonias de Shostakovich.

Leia Mais »