Só uma greve geral pode acabar com a crise dos transportes no Rio de Janeiro

O sistema privado de transporte coletivo no estado do Rio de Janeiro está prestes a colapsar, especialmente na capital. Para os trabalhadores, que dependem diariamente de ônibus, trens e barcas para irem ao trabalho, a crise não começou na pandemia, apenas se agravou. A reação espontânea e desorganizada do povo tem sido quebrar os terminais, veículos e não pagar a passagem (“dar calote”). Mas estas reações de revolta, apesar de aliviarem a fúria individual, não vão resolver o problema.

A paciência já acabou há muito tempo. O RJ TV (telejornal da Rede Globo) tem mostrado diariamente casos de pessoas pisoteadas, peças de ônibus que se soltam e ferem passageiros, terminais repletos de aglomerações, e uma disputa diária por espaço nos poucos ônibus disponíveis repleta de socos, chutes e pontapés. Já teve até caminhão cegonha dando “carona” a passageiros que esperavam por mais de duas horas por um BRT.

O povo do Rio de Janeiro precisa compreender que essa crise não foi inevitável, mas sim provocada pelo capitalismo. Enquanto o ex-interventor no BRT e o Ministério Público dizem que há um cartel dos transportes1, que gerou até mesmo um “rei do ônibus” (Jacob Barata) que continua reinando da cadeia2, os trabalhadores pobres e estudantes não têm ninguém para representar seus interesses. Como consequência da crise e do caos, formaram-se na última década poderosas milícias do transporte alternativo. Para as empresas de ônibus, diversos bairros controlados por milicianos não geram lucros, então as milícias lhe prestam um favor em assumi-los.

A verdade é que no capitalismo o trabalhador é apenas um número: se ele chegar à empresa sem ferimentos incapacitantes, já é o suficiente. Nenhum patrão ou acionista do conselho de administração vai sair em defesa do bem-estar do trabalhador nos transportes, lutando contra seus irmãos de classe. Para os empresários do setor de transporte, o importante é que a passagem seja paga e que a frota continue operando nas áreas que geram maiores lucros, especialmente a Zona Sul. Enquanto isso, os órgãos de fiscalização do Estado são uma verdadeira piada: estão com pés e mão amarrados pela corrupção e pelos grupos paramilitares.

Chegou a hora da grande transformação. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Terrestres (CNTT) diz estar preparando uma greve nacional3. Os trabalhadores dos transportes no Rio de Janeiro, organizados nos seus sindicatos, devem aderir com todo vigor à esta greve, pedindo apoio de companheiros de outros setores e dos usuários para organizar grandes piquetes na porta das empresas. Uma greve nacional dos transportes pode desencadear uma greve geral, já que sem transporte de massa quase ninguém consegue chegar nas empresas.

Organizando os trabalhadores a partir de uma maciça greve, será possível pressionar pela abertura da “caixa preta” dos transportes urbanos e muito mais. Os livros e planilhas de contabilidade das empresas devem ser abertas como um primeiro passo. Organizados e com apoio da população nesse momento de grande revolta, os trabalhadores podem ocupar e forçar a estatização e unificação das maiores frotas de ônibus, dos trens, das barcas e do BRT, colocando toda a operação a serviço dos usuários e da economia real, tirando assim os meios de transporte das mãos de uma máfia4.

Basta de CPIs e telejornais que só organizam denúncias, de confiança cega em decretos e leis que nunca serão cumpridos, assim como de órgãos de fiscalização fake. A verdadeira força da transformação está nos trabalhadores dos transportes e no apoio que eles estão aptos a receber da população. Esse é o momento certo para uma insurreição popular que supere em força os corruptores, os corrompidos e o terrorismo miliciano. Todos eles estão a serviço do capital.

1 https://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2020/09/29/mpf-denuncia-cartel-que-atuou-em-obras-do-metro-de-sp-rj-e-mais-6-capitais.htm

2 https://www.oantagonista.com/brasil/apesar-da-lava-jato-o-rei-do-onibus-nao-perdeu-a-majestade/

3 https://diariodorio.com/motoristas-do-rio-podem-aderir-greve-nacional-dos-transportes/

4 https://www.brasildefato.com.br/2018/04/09/relatorio-paralelo-de-cpi-do-onibus-aponta-mafia-no-transporte-do-rio-de-janeiro

Deixe Seu Comentário