Por que participar do 2º Seminário em Defesa da Educação Pública, Gratuita e para Todos?

No dia 17 de abril, sábado, a partir das 14 horas, realizaremos a 2ª edição deste importante seminário. A educação pública, gratuita e universal é um direito republicano básico, que remonta às conquistas da Revolução Francesa contra o obscurantismo medieval. Contudo, num país de capitalismo atrasado como o Brasil, sequer os direitos democrático-burgueses foram realizados, devido à debilidade da burguesia local e a sua completa submissão ao imperialismo, que não tem interesse nenhum em promover acesso à saúde, transporte e educação, públicos, gratuitos e para todos.

Essa bandeira adquire um caráter revolucionário, uma vez que, na luta pela sua conquista, não há outro caminho senão o choque com o capitalismo e com seus representantes. Já somos quase 400 inscritos nessa edição! Abaixo, alguns dos participantes estão nos contando por que participar. Leia, inspire-se e inscreva-se também!

“Vou participar por ser educadora de escola pública e por ter estudado em todas as etapas de minha formação, exceto universidade, em escola pública, um dos motivos. Outro, mais importante ainda, é que acredito, luto e busco incessantemente por uma sociedade justa e igualitária para todos. Por fim, por justiça social, por uma sociedade solidária, em que todos possam estar e aprender juntos. Onde não haveria escola de rico e escola de pobre… Uma escola pública de qualidade para todos”. (Eliane Salette Puhl, professora de Língua Portuguesa e Literatura na rede estadual de SC)

“Cada dia fica mais claro o quanto a educação pública no país é prejudicada e o quanto ela não tem o investimento necessário, especialmente no governo Bolsonaro. E, por isso, é importante, a juventude mais do que todos, se organizar, posicionar e exigir uma educação pública, gratuita, de qualidade e para todos”. (Bruna Löeffler, 18 anos – Joinville/SC)

“Sou professor da rede pública de ensino de Cuiabá e vejo em meus alunos o sonho de um dia entrar na universidade federal. Porém, é triste quando esse ideal se choca com a realidade de não ter vagas suficientes. Boa parte deles desiste pelo caminho e outra parcela se endivida para pagar uma [universidade] particular. O seminário é a oportunidade de debatermos como mudar essa situação e construir a luta pela universalização do ensino público e gratuito”. (Fábio Ramirez, professor de Educação Física rede municipal de Cuiabá/MT)

“Em determinadas circunstâncias em que estamos, neste governo colapsado neoliberal, defender educação pública gratuita e para todos é essencial. Em meio a uma pandemia mundial e uma educação pública já precarizada, quando essas circunstâncias se chocam, o resultado trágico, como estamos vendo, defender a educação pública gratuita é um dever de todos. Vou participar porque em momentos que a educação pública e gratuita é precarizada e ameaçada que devemos mais do que nunca nos unir para prezar pelo mínimo, educação para todos”. (Rayssa Cassiano dos Santos, 15 anos, estudante de ensino médio do IFSC)

“Eu, como estudante do Colégio Jardim São Paulo, irei comparecer no seminário, pois é sabido que há a necessidade do ensino público, gratuito e para todos. Pretendemos intervir dentro do colégio a partir de um sindicato dos estudantes para tratarmos sobre esse e outros assuntos essenciais. É muito falado sobre o futuro de nós, jovens, e nada é feito para que todos tenham acesso à educação. Apenas a burguesia se beneficia de um ensino de qualidade, garantindo assim, principalmente o lucro dos patrões. Precisamos nos informar para podermos debater e mostrar que o ensino público, gratuito e para todos é a melhor opção para combatermos esse e outros diversos problemas decorrentes dessa situação. Por esse motivo irei comparecer na reunião do seminário. No Colégio Jardim São Paulo, gostaríamos de intervir a partir de um sindicato de estudantes para tratarmos sobre esse assunto essencial”. (Beatriz, estudante secundarista do colégio Jardim São Paulo)

“A rede estadual paulista vem sofrendo mais do que nunca nesse cenário pandêmico, com a total desorganização e exigências do próprio governo do estado, que sequer orienta as direções escolares sobre o que fazer. Nós, professores, já estamos esgotados com tanta instabilidade, recesso no meio do bimestre, ameaças de antecipação das férias escolares, sem contar a falta de estrutura que vivenciamos no início do ano, que fomos obrigados a dar aulas presenciais durante a pior fase da crise sanitária. Por isso, irei participar do 2° Seminário em Defesa da Educação Pública e Gratuita para Todos e convido os colegas de cátedra a também discutirem essas questões que estamos vivendo, no auge da crise do capitalismo.” (Jaqueline Ribeiro, professora na cidade de Campinas/SP)

“Vou participar do 2° Seminário em Defesa da Educação Pública, Gratuita e para Todos, que está se do organizado pela Liberdade e Luta e Esquerda Marxista. Além dos temas serem bastante interessantes, acredito que é importante nós profissionais da área da Educação estarmos preparados teoricamente para que a nossa atuação caminhe em luta, reivindicando nossos direitos e organizando nossa categoria para os enfrentar os desafios que sempre estiveram no nosso dia a dia e, sobretudo agora nesse momento de pandemia, com os desafios que virão. Convido todos os profissionais da Educação e os estudantes universitários e secundaristas para participar dessa valorosa atividade.” (Naiara, professora na rede pública de ensino de Bauru/SP)

“Nós estamos vivendo em um momento de crise do capitalismo, nessa conjuntura o estado burguês ataca os direitos dos trabalhadores e os serviços públicos mais e mais. Por isso, acho importante participar de atividades como o 2º Seminário em Defesa da Educação Pública, Gratuita e para Todos! Assim podemos entender os motivos dessa crise, descobrir como podemos combater esses ataques e o que um sistema socialista tem para nos oferecer em relação à educação.” (Yuri Santorellh, estudante de serviço social da UnB, Brasília/DF)

“Irei participar do 2º Seminário em Defesa da Educação Pública, Gratuita e para Todos porque é urgente que estudantes e trabalhadores levantem uma muralha contra os ataques da burguesia e dos seus governos de plantão, e ergam bem alto a bandeira da revolução socialista, único caminho viável para livrar a humanidade da barbárie que se aprofunda.” (Renato Vivan, professor da rede municipal de Curitiba-PR)

“Vou participar do 2º Seminário em Defesa da Educação Pública, Gratuita e para Todos.  A atual crise econômica, política e sanitária do capitalismo fez da educação pública um alvo preferencial dos ataques dos governos de plantão. Só a organização e a luta dos(as) trabalhadores(as) pode dar uma saída para essa crise. Por isso, esse seminário é tão importante”. (Fabiano Stoiev, professor da rede pública do Paraná e secretário geral do Núcleo Sindical da APP Curitiba-Norte)

“Sou professor e pesquisador de literatura e atualmente atuo no Ensino Básico, na rede pública de ensino. Meu compromisso com a ciência, com a produção e reprodução do saber, me faz crer que o ‘2º Seminário em Defesa da Educação Pública Gratuita e para Todos’ é de extrema importância, pois é no exercício de uma organização com independência de classe que podemos salvaguardar o que de melhor a humanidade produziu da destruição provinda da barbárie irracionalista do capitalismo. E dentro desse melhor que produzimos está a própria classe trabalhadora, que, na guerra do capital contra o trabalho, tem sido ceifada, resultando em tantas mortes que atingem em cheio professores e estudantes. A encruzilhada intransponível que temos é ainda hoje e mais intensamente entre o socialismo e a barbárie. O 1º Seminário deu o pontapé inicial na orientação de nossas lutas em meio à pandemia, e espero do 2º a reflexão sobre nossa práxis e apontamento dos próximos horizontes das lutas. Saudações Revolucionárias!” (Leonardo Mendes, doutor em Ciência da Literatura (UFRJ), professor da rede pública no estado do Espírito Santo)

“O capitalismo está em crise mundial e em decomposição, não tem nada a oferecer aos trabalhadores. Os grupos econômicos da educação, pressionam os educadores e estudantes para que as aulas voltem, sem vacina para todos. A classe precisa se organizar para enfrentar suas direções sindicais, que só querem atuar dentro dos limites da sociedade burguesa. A Esquerda Marxista e a Liberdade e Luta organizam o 2° Seminário em Defesa da Educação PÚBLICA, GRATUITA E PARA TODOS, no dia 17 de abril, às 14 horas. Participe e venha construir e fortalecer a organização dos educadores, conhecendo experiências históricas, realizadas pelos trabalhadores.” (Fernando Antonio Tomaz de Aquino Pessoa, professor e militante da EM de MG)

“Este evento é muito importante, porque vai reunir educadores e estudantes do Brasil inteiro para construirmos uma luta pela educação pública hoje. Nesse cenário de pandemia, nosso trabalho está ainda mais sucateado do que já sempre foi. E nenhuma liderança política apresenta uma saída real. Sendo assim, só a unidade de todos os trabalhadores pode garantir as condições reais de uma educação pública, gratuita e para todos. Isso passa hoje por lutar por vacina para todos, para não colocarmos em risco a vida de mais ninguém”. (Felipe Araujo, professor de Filosofia na rede estadual do Rio de Janeiro)

“Por que vou participar do Seminário em Defesa da Educação Pública, Gratuita e Para Todos? Vou participar porque quero entender melhor o que se passa na educação. Por que ela é assim? Como posso mudá-la? São perguntas que não saem da cabeça e que eu espero encontrar uma resposta.” (Theo, estudante secundarista do Sul da Ilha, Florianópolis/SC)

“Participar de um seminário da Educação organizado pela Esquerda Marxista contribui integralmente com meu conhecimento, principalmente como estudante de educação, de uma forma crítica, reflexiva e contundente com o contexto atual. Nós, como estudantes e profissionais, necessitamos de eventos como esse, para nos ajudar a lutar contra esse atual governo negacionista e contra todo o desmonte do sistema educacional”. (Valesca Lodi, estudante de pedagogia da Unesp Rio Claro)

INSCREVA-SE VOCÊ TAMBÉM! 

Deixe Seu Comentário