Editoriais

A moral de Moro e Bolsonaro

Bolsonaro é um demagogo aventureiro. Prometeu e segue prometendo muitas coisas que não vai entregar. Uma delas é o combate à corrupção. A entrada de Sérgio Moro como ministro da Justiça supostamente simbolizaria isso. Bolsonaro é direto. Em reunião com parlamentares do PSL ele explicou: “questão ideológica é mais grave …

Continue lendo... »

O “nacionalismo” fora do lugar

Brasil, ame-o ou deixe-o. (Slogan da Ditadura Militar) O último a sair apague a luz (O Pasquim) A rede de TV SBT durante dois ou três dias reeditou numa vinheta o slogan da Ditadura Militar: “Brasil ame-o ou deixe-o”. O problema político central, que a direção do SBT (Silvio Santos …

Continue lendo... »

Eleições 2018: O que fazer neste primeiro turno

A imprensa burguesa está fazendo o possível e o impossível para enterrar as manifestações de 29 de setembro e a disposição de luta que lá se expressou. Realizam comparações descabidas com os atos “pró-Bolsonaro” do dia seguinte, que foram dezenas de vezes inferiores, e omitem fatos como as manifestações espontâneas …

Continue lendo... »

Quem manda no país

O ex-diretor do Banco Central e sócio fundador da gestora de investimentos Mauá Capital, Luiz Fernando Figueiredo, respondeu a uma pergunta da Folha (Folha de São Paulo, 23/10/18): “Haddad distanciou-se do economista mais heterodoxo do PT e admite a necessidade de ajuste na Previdência. Esses acenos não convencem? É aquela …

Continue lendo... »

O reformismo e a revolução

Os governos e as derrotas eleitorais da “esquerda” As eleições na Suécia, realizadas no dia 9 de setembro, mostraram um recuo da socialdemocracia e um avanço da extrema direita. Se olharmos bem o mapa europeu, isso aconteceu em quase todos os países. Nos únicos lugares em que houve uma reação …

Continue lendo... »

Se as coisas estão tão mal, por que ainda não houve uma revolução?

O mundo marcha de forma concreta e não há nada de surpreendente sobre o atraso no processo da revolução. Os capitalistas construíram poderosas defesas. Ganharam, para a proteção do capital, partidos políticos da esquerda e dirigentes sindicais “responsáveis”.  Sem falar de jornalistas, professores universitários, advogados, economistas, bispos e outros. E, …

Continue lendo... »