Parem a perseguição e repressão aos professores grevistas em São Paulo!

O governador João Doria (PSDB) e Rossieli, secretário de Educação, se propuseram a um enfrentamento duro contra as organizações de trabalhadores desde o início de seus mandatos. Sua palavra de ordem é combater o sindicalismo na educação. E como reflexo direto dessas posturas estamos vendo uma perseguição política ferrenha contra aqueles que constroem a greve pela vida em todo o estado de SP.

Trata-se de atos de assédio moral e perseguição política a professores que aderiram à greve sanitária da Apeoesp, deflagrada no dia 05 de fevereiro. Isso ocorre por meio de ameaças de interrupção de exercício (perda de aulas atribuídas) ou extinção contratual para os professores Categoria O, ou mesmo de exoneração de cargo para professores F e efetivos. E fazem isso com plena ciência de que ferem o direito à greve garantido pelo art. 9º da Constituição Federal. Como sempre, a burguesia, quando lhe convém, ignora suas próprias leis.

Esses atos de assédio, para além da intimidação, vêm sendo concretizados em algumas localidades. Na Diretoria de Ensino de Mauá, o Dirigente Edson Donizetti Porto está orientando os diretores da região a interromperem o exercício dos professores Cat. O. Isso já ocorreu com um professor, o Prof. Caio Tulio dos Santos Sousa. Além disso, em reunião com a Diretoria, foi declarada verbalmente a intenção de fazer o mesmo com a Profª Valéria Oliveira. Trata-se de um Ato Inconstitucional da gestão Doria e Rossieli, implementado pelo dirigente de Ensino de Mauá e que deixa o professor que adere à greve sem emprego.

Não aceitaremos! A Apeoesp precisa garantir toda a defesa política e jurídica aos professores que estão sofrendo assédio e perda de contrato ou exoneração em função de adesão à greve. Trata-se de uma questão política chave para essa e para as lutas que virão.

E iniciamos aqui nossa campanha contra as perseguições e repressão aos professores do estado de SP em greve! Solicitamos a ajuda de todos os trabalhadores e estudantes a enviarem moções endereçadas (modelo abaixo) ao gabinete do governador, à Seduc (Secretaria de Educação do Estado de SP) e à Diretoria de Ensino de Mauá como forma de pressionar essas instâncias a cessarem as perseguições aos trabalhadores em luta!

  • Abaixo a repressão e perseguição aos trabalhadores em luta!
  • Aula presencial só com vacina para todos!
  • Abaixo os governos Doria e Bolsonaro!

Pedimos que enviem urgentemente a moção abaixo para os e-mails: [email protected]; [email protected]; [email protected]; [email protected]; [email protected]

Com cópia para: [email protected]

Parem com a perseguição e a repressão contra os professores de SP em greve!

Prezados senhores,

Comunicados das medidas antissindicais, a perseguição e a repressão contra os professores do estado de SP em greve, o que é de conjunto um verdadeiro ataque contra as liberdades democráticas, viemos através deste manifestar nossa solidariedade com estes trabalhadores e pedir-lhes que revoguem todas as decisões judiciais, executivas e legislativas tomadas ou em vias de serem tomadas contra esses Professores.

Um exemplo trágico tem sido a postura do Dirigente de Ensino de Mauá, Sr. Edson Donizetti Porto, que orientou aos diretores da região uma série de medidas de repressão aos grevistas. As medidas tomadas como a interrupção de exercício e extinção contratual de professores Cat. O são completamente abusivas, em especial em uma greve legal como a deflagrada pela APEOESP. Além disso, desconsideram completamente os direitos democráticos duramente conquistados pelas lutas da classe trabalhadora brasileira, como o constitucional direito de greve.

Nesse sentido, solicitamos aos senhores governador João Doria, secretário de Educação Rossieli Soares e Dirigente de Ensino de Mauá Edson Donizetti Porto que cessem todos esses ataques aos trabalhadores e retirem as ameaças de demissão e punição.

Nome, representação, etc.

Local e data

Deixe Seu Comentário