França: lições do 28 de março

Outro dia de ação foi realizado na terça-feira (28) para se opor ao podre regime de Emmanuel Macron que, na semana passada, impôs o aumento da idade de aposentadoria francesa. A luta continua forte, evidenciada pelos milhões de pessoas que saíram às ruas. Mas, para que os trabalhadores e a juventude saiam vitoriosos em suas batalhas contra Macron, os velhos e falidos métodos dos dirigentes sindicais não serão suficientes. Confira o um balanço da última mobilização feito pelos nossos camaradas da seção francesa da Corrente Marxista Internacional (CMI), Révolution.

Leia Mais »

As eleições do Andes-SN e a resistência aos ataques da burguesia

Os professores das universidades e de alguns institutos federais de todo o Brasil irão às urnas para eleger a nova direção do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes-SN), nos dias 10 e 11 de maio. Esta será a primeira eleição na nova situação política aberta com a eleição de Lula (PT) e primeiros meses de governo de união nacional encabeçado pelo Partido dos Trabalhadores em colaboração com a burguesia. No âmbito sindical, esta será a primeira do Andes-SN depois que o sindicato decidiu se desfiliar da Central Sindical e Popular Conlutas (CSP-Conlutas). Cabe ainda destacar que o processo eleitoral se dá em meio a uma progressiva diminuição da participação da categoria em pleitos anteriores, em grande medida por conta de críticas - algumas das quais corretas - ao grupo que vem dirigindo o sindicato nos últimos anos.

Leia Mais »

Megagreve em 27 de março deve paralisar a Alemanha

Desde o início do ano, aumentou a frequência das greves na Alemanha. Primeiro os carteiros, depois os funcionários do setor público e agora os ferroviários entraram em ação. As razões para isso são óbvias: a crise econômica, o aumento massivo dos preços e as perdas salariais reais dos últimos anos. Em 27 de março, uma grande greve irá acontecer, organizada pelo Ver.di (o segundo maior sindicato da Alemanha) e pelo sindicato ferroviário e de transporte (EVG). Isso envolverá motoristas de ônibus e trens, bem como trabalhadores de rodovias e aeroportos.

Leia Mais »

Israel: reforma judicial de Netanyahu divide burguesia e provoca enormes protestos

Uma luta mordaz e devastadora erupcionou dentro da classe dominante israelense. Faz apenas poucos meses que Benjamin ‘Bibi’ Netanyahu retornou ao seu posto, e ele está determinado a forçar o Knesset [Parlamento] de Israel a aprovar uma série de reformas judiciais. Ao fazer isso, ele enfureceu a maioria dos grandes capitalistas, que, por sua vez, tomaram a medida inusitada de impulsionar mobilizações com enormes multidões nas ruas. Quando a classe dominante parte para um conflito aberto dessa forma, ela carrega, consigo, o perigo de derrubar a farsa que em tempos "normais" dissimula o real funcionamento de seu domínio. O conflito presente não é uma exceção.

Leia Mais »

O governo Tarcísio deve ser responsabilizado por ameaças contra dirigentes sindicais metroviários!

Tomamos conhecimento a partir de nota publicada pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo, de que a presidente do sindicato, Camila Lisboa, recebeu três ameaças de morte nas 72 horas que se seguiram após a greve dos metroviários da semana passada. Além disso, o site do sindicato também relata que fotos e links de perfis das redes sociais de outros dirigentes sindicais circularam em grupos bolsonaristas e foram alvos de ódio.

Leia Mais »

A decadência da esquerda que protesta para opinar sobre a taxa Selic

O Comitê de Política Monetária (Copom), órgão responsável por definir a taxa básica de juros no país, a chamada taxa “Selic”, reuniu-se quando ela estava fixada em 13,75% no dia 22 de março. O curioso sobre esse encontro foi que, no dia anterior, centrais sindicais e movimentos populares realizaram atos em todo o país para pressionar o Copom a reduzir a Selic. O resultado não foi nem de longe suficiente para causar qualquer pressão. A tentativa de levar a classe trabalhadora às ruas para opinar nos negócios da burguesia, ou seja, em negócios que envolvem a remuneração do capital e a exploração do trabalho, resultou em atos com algumas dezenas de pessoas, marcados pela presença da burocracia sindical e praticamente sem juventude.

Leia Mais »

Manifesto

Manifesto da Internacional Comunista Revolucionária

A seguir apresentamos o texto do Manifesto da Internacional Comunista Revolucionária que, após uma discussão exaustiva, foi aprovado por unanimidade no Secretariado Internacional na manhã de 7 de março de 2024. Este documento será submetido, para ratificação, a nossa conferência internacional em Junho, onde lançaremos uma nova Internacional Comunista Revolucionária.

Leia Mais »