Foto: Marcos Corrêa/PR

Os guardiões do Crivella

A Rede Globo de televisão fez uma matéria onde relata que centenas de funcionários da prefeitura do Rio de Janeiro, comandada por Marcelo Crivella, são pagos para impedir que os trabalhadores denunciem para imprensa o descaso com a saúde por parte da prefeitura.

Assista à matéria:

A notícia é um verdadeiro escândalo, um crime contra a classe trabalhadora, que já sofre tanto com as milhares de morte da pandemia.

É inadmissível que Crivella ainda permaneça no cargo após essa denúncia criminosa!

Vale dizer que a Rede Globo não faz essa denúncia porque tem preocupações em apoiar a classe trabalhadora em sua luta por saúde pública, gratuita e agora todos. A Globo apoia a gestão capitalista da saúde, dominando pela máfia das organizações sociais (OS’s).

O capitalismo está em crise, e toda burguesia quer ganhar o título de “cuidadora do povo”. Mas as máscaras estão caindo. A classe trabalhadora não deposita mais nenhuma confiança nas instituições burguesas.

Contudo, o que falta é uma direção de esquerda que leve a luta até o fim contra esse sistema. Freixo, que era o candidato com mais condições de mobilizar os trabalhadores e a juventude contra todos os ataques que estamos recebendo, decidiu abandonar o barco para seguir a “luta” por dentro das engrenagens parlamentares, abrindo processos e CPI’s, como se fosse possível vencer os ataques por essas vias.

A única saída para nós trabalhadores é a luta organizada, nas ruas, através de greves, piquetes e comitês de luta.

Se as direções que se dizem de esquerda não o fazem, aprendamos com os entregadores de aplicativos e tantas outras categorias que se organizam mesmo sem o apoio das centrais sindicais, sindicatos e partidos. Atropelemos as direções traidoras e construamos os futuros dirigentes operários da luta que teremos de travar, mais cedo ou mais tarde.

Vamos construir comitês de luta contra Crivella, Witzel Bolsonaro e todos patrões e generais!

Precisamos derrubar esses inimigos e construir um governo dos trabalhadores.

Vencermos.

Felipe Araujo é professor da Rede Estadual e militante do Movimento Negro Socialista.

 

Deixe Seu Comentário