Foto: Alan Santos, PR

Obscurantismo e aspirações fascistas de Bolsonaro e Olavo de Carvalho

Nota do Editor: O artigo a seguir apresenta opiniões exclusivas de seu autor. Caracterizamos o governo Bolsonaro como aspirante ao tipo de governo bonapartista. Sobre o assunto, indicamos a análise da Esquerda Marxista “Declaração da Esquerda Marxista: Organizar a resistência e o combate contra o governo Bolsonaro” e o artigo “O que é o fascismo? Ele é uma ameaça iminente hoje?“.

Mesmo com tudo que o governo de Jair Bolsonaro aponta para a ideologia fascista, somente após a sua queda é que poderíamos afirmar o que o governo Bolsonaro é de fato. Pois seus seguidores defendem até mesmo o retorno a monarquia, o que confunde ainda mais a cabeça de muita gente. Muitos elementos desse governo, principalmente agora escancarados, levam sem sombra de dúvida para um governo autoritário.

Algo que sempre demonstrou, mas que ninguém queria acreditar: foi assim também com Hitler na Alemanha. O nazismo começou assim também. Hitler era visto como um grande salvador, criou um inimigo fantasioso, e mentiras, muitas mentiras. Por incrível que pareça, o inimigo criado pelo nazismo inicialmente não fora declaradamente os judeus. Logicamente existia já uma perseguição, mas era algo muito mais escondido, já que o antissemitismo existia em toda a Europa. Então alguns poderiam enxergar isso como algo normal no início. Nos discursos de Hitler ele apontava como inimigo os comunistas. Hitler odiava o comunismo.

Mas quem poderíamos chamar de um movimento verdadeiramente fascistas? Bom, quem iniciou e deu nome a essa ideologia foi Benito Mussolini. Mas o fascismo italiano nem se compara com o fascismo alemão, porque o fascismo italiano não tinha uma atração internacional. Se não fosse Hitler, o fascismo teria nascido e morrido na Itália, porque o movimento fascista fora da Itália de fato só assumiu o poder depois do 1933 com Hitler. 

Veja bem, demorou anos e anos até que Hitler assumisse o poder na Alemanha. Toda a sua ideia foi plantada e espalhada aos poucos. Talvez isso também aconteça com Bolsonaro, mas não sozinho. Acredito que Bolsonaro não pense por si só. Ele tem alguém muito mais maligno por trás, e esse ser se chama Olavo de Carvalho: o Rasputin desse governo. Basta reparar quando Olavo falou que ninguém morria de coronavírus, e falou extremas barbaridades e mentiras. Bolsonaro logo repetiu isso em toda a rede televisiva, que era apenas uma gripezinha.

Foi Olavo que começou com os ataques à imprensa, a criar inimigos fantasiosos, a criar teorias da conspiração. Um dos culpados desse desastroso governo de fato é Olavo de Carvalho. Ele tem muitos seguidores lunáticos, e porque não dizer bizarros. Atacam ferozmente quem diz algo contra Bolsonaro ou Olavo. Destroem a reputação da pessoas, difamam, e isso vi acontecer com diversos de seus seguidores fervorosos no passado, que acabaram acordando pra esse governo doentio e que agora são inimigos deles e viraram “comunistas”.

Muito, mas muito parecido com o fascismo, pois tudo que eles criam são meras invenções de suas cabeças, e repetem tanto até virar verdade. Olavo já declarou muitas vezes que deveriam criar uma Era Bolsonarista, o que traduzindo seria, “chega, vamos seguir o grande líder Bolsonaro e seus filhos”. O culto sobre Bolsonaro agora é mais claro do que nunca, cultos fabricados assim como adivinhem, na Alemanha Nazista.

O que eu sempre falo e não canso de repetir: o fascismo é muito fácil de entender, e por isso engana tantas pessoas de forma fácil. O que temos de fazer é derrubar o Bolsonaro o quanto antes, porque talvez depois não tenhamos mais dúvidas que de fato esse seja um governo verdadeiramente fascista, temos que derrubá-lo o quanto antes, porque depois pode ser tarde demais.

Sergian Douglas de Souza é historiador, com pós-graduação em Metodologia de História, formado no ensino presencial da Uniasselvi. Sergian também participa de um dos comitês Fora Bolsonaro que se organizam pelo país. Este artigo é uma contribuição dele para a atividade que eles estão realizando.

Deixe Seu Comentário