Download WordPress Themes, Happy Birthday Wishes
Camaradas do Movimento Mulheres Pelo Socialismo após ocorrer a liberação

Nota contra a violência da Guarda Municipal e do Judiciário em Florianópolis

O Movimento Mulheres pelo Socialismo vem por meio desta repudiar a ação policial ocorrida em Florianópolis no último dia 30.

Ao presenciar atos de violência da guarda municipal contra uma pessoa em situação de rua, nossa camarada interveio, solicitando que parassem com a abordagem violenta. A resposta da GM foi mais violência, dessa vez contra a camarada, alegando, entre outros elementos, que ela estaria agindo de forma a “desobedecer a ordem legal de funcionário público”, desacatando a guarda – acusação que, segundo o entendimento de diversas entidades é inconstitucional -, tratando-a com truculência e violência – prova disso são as marcas deixadas na camarada, e conduzindo-a à delegacia.

A camarada passou a noite detida e foi conduzida para a audiência no dia 31/10 algemada pelas mãos e pés, numa clara atitude de coação, humilhação e tentativa de intimidação.

Após a audiência ela foi liberada mas deverá cumprir uma série de exigências.

A ação truculenta da Guarda Municipal de Florianópolis ilustra o aumento do poder de repressão que tem se tornado comum nessa instituição em diversas cidades.

Não aceitamos violência policial de qualquer instituição. Não deixaremos nenhum dos nossos nas mãos opressoras do Estado.

A atitude da camarada, tentando impedir que a violência do Estado continuasse e a resposta da GM demonstram o quanto vale a vida nessa sociedade e qual é a atitude do Estado diante da situação de barbárie que ele mesmo gera.

Seguiremos até o fim, nas ruas e nas lutas, pela superação desse sistema que descarta a vida em nome do lucro e que não tem mais nada a nos oferecer exceto violência, miséria e barbárie.

Contra a violência do Estado!

Em defesa das liberdades democráticas!

Deixe Seu Comentário
x

Confira Também

Pela resistência dos trabalhadores ao golpe burguês na Bolívia

Os eventos que se seguiram à renúncia forçada de Evo demonstram que a saída constitucional ...