Foto: Cesar Itiberê/PR

Nenhuma confiança no Prefeito Rafael Greca! Vacina para todos já!

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, anunciou no dia do aniversário da cidade (29/03) que o retorno das aulas presenciais nas escolas públicas municipais irá ocorrer apenas após a vacinação dos professores. Esta não é a primeira vez que o prefeito faz promessas deste tipo. Durante as eleições municipais de 2016, declarou que iria honrar os compromissos com os servidores públicos e garantir a implementação dos novos planos de carreira das diferentes categorias. Passado alguns meses, promoveu o maior e mais violento ataque já sofrido pelos servidores municipais de Curitiba.

No final de 2020, afirmou que só reabriria as escolas quando houvesse vacina, afinal, não estava disposto a matar inocentes. Porém, como de costume, esqueceu o que falou e determinou o reinicio das aulas presenciais em fevereiro deste ano. O resultado foi uma tragédia. Segundo dados obtidos pelo Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (SISMMAC) e Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (SISMUC), após o retorno das aulas presenciais, foram confirmados 115 casos distribuídos em 64 unidades educacionais, sendo 12 unidades com surto de Covid-19 confirmado.

O prefeito Rafael Greca sabia que a pandemia estava fora de controle e tinha conhecimento sobre o eminente colapso total do sistema de saúde e, mesmo assim, decidiu empurrar crianças, famílias e trabalhadores em educação para uma situação de altíssimo risco, baseando-se em um protocolo que não garantia a segurança de ninguém. As máscaras distribuídas para as crianças e trabalhadores em educação eram insuficientes e de baixíssima qualidade; o álcool em gel fornecido não oferecia proteção. Em pesquisa realizada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), encomendada pelo SISMMAC e SISMUC, foi constatado que o percentual de álcool presente nas amostras de álcool em gel fornecido às escolas estava muito abaixo do recomendado (entre 26,65% e 62,33%); as salas de aulas não possuíam ventilação adequada; a normas de distanciamento eram inaplicáveis; havia racionamento e falta de água nas unidades educacionais e muitos servidores com sérias comorbidades tiveram seus pedidos de afastamento negado. Ou seja, o compromisso de não matar inocentes era pura mentira e demagogia, até porque em nenhum momento tomou medidas para impedir, por exemplo, que os trabalhadores da cidade não se aglomerassem no transporte público.

Somente após o desenvolvimento de um quadro de catástrofe do sistema de saúde da cidade, o prefeito Rafael Greca decidiu suspender as aulas presenciais e tomar algumas medidas restritivas. Não era o seu desejo, foi empurrado pela situação e pela pressão dos trabalhadores.

Afirmar que o retorno das aulas presenciais só acontecerá com os professores vacinados é um recuo de Rafael Greca diante da pressão da sociedade e da conjuntura. Mas, é fundamental manter a mobilização e exigir que não apenas professores, mas todos os trabalhadores em educação e um grande contingente populacional (70% ou mais), incluindo os estudantes, sejam completamente imunizados antes da retomada das aulas presenciais. Além disso, por seu histórico de falsas promessas e de compromisso com a burguesia, o prefeito Rafael Greca não merece nenhuma confiança.

Por fim, há um outro aspecto que reforça a importância de nosso combate por vacinas para todos. O hospital Pequeno Príncipe de Curitiba, que é referência no tratamento pediátrico, informou recentemente que a média mensal de pacientes diagnosticados com Covid-19 aumento 133% e que no Paraná, o número de mortes de crianças e adolescentes por Covid-19 dobrou nos últimos três meses, o que contrasta com o argumento de que crianças e adolescente não são acometidos e vítimas da Covid-19. A imunização das crianças e jovens, assim como do conjunto da classe trabalhadora, deve fazer parte das reivindicações e da luta em defesa da vida.

  • Defender a vida dos trabalhadores, das crianças e da juventude!
  • Vacina para todos já!
  • Nenhuma confiança no prefeito Rafael Greca! 
  • Abaixo o governo Bolsonaro!
Deixe Seu Comentário