Foto: George Campos, USP Imagens

Estupro inevitável? Abaixo a exploração da mulher trabalhadora!

Não é exclusividade de políticos conservadores (representantes da burguesia) brasileiros realizar comentários que desrespeitam as mulheres e ferem sua dignidade. No dia 06 de março deste ano, Robert Regan, candidato à Câmara do Michigan (EUA), pelo Partido Republicano, realizou uma fala extremamente asquerosa, marcada por todo o seu machismo. Essa declaração apenas escancara o modo como ele avalia a posição das mulheres dentro da sociedade; como propriedade, a qual deve ser explorada.

Essa fala ocorreu em uma transmissão ao vivo pelo Facebook promovida pela Rescue Michigan Coalition, grupo conservador cuja principal tese é ter havido uma fraude eleitoral em 2020 contra o candidato republicano, Donald Trump. Regan afirmou que “Tendo três filhas, digo a elas: ‘Se o estupro é inevitável, você deve apenas deitar e se divertir‘”. Após essa fala repugnante, Regan sequer apresentou desculpas, apenas justificou-se dizendo que “minhas palavras não são suaves e polidas como as de um político pois não sou um político”, o mediador do debate, Adam de Angeli, em entrevista à TV WXYZ, tentou minimizar os absurdos proferidos naquela live, afirmando que o Regan costumava se enrolar com as palavras e não se passava de uma analogia não muito bem realizada. Vale ressaltar que esta não foi a primeira fala revoltante feita pelo candidato republicano. Logo que este trecho viralizou, nas redes sociais, ressurgiram casos de compartilhamento de teorias conspiratórias e ataques às mulheres envolvendo o candidato.

Em 2020, Robert Regan apareceu na mídia americana devido a suas filhas fazerem campanha bastante firme para que os cidadãos do Michigan não votassem de modo algum nele. Em um vídeo gravado em 2021, Regan afirmou que as vacinas contra a Covid-19 são parte de um “genocídio” planejado pelo governo, de modo a endossar uma teoria conspiratória do QAnon. Ademais, mais recentemente, ele também afirmou que a guerra na Ucrânia era uma “guerra falsa tal qual a falsa pandemia” e ainda compartilhou um meme argumentando que o feminismo era “um programa judaico para degradar e subjugar homens brancos”.

Seu histórico de comentários extremamente machistas e conspiracionistas também renderam reações dentro do próprio Partido Republicano, Rob VerHeulen descreveu os comentários como ofensivos, perigosos e impróprios para qualquer um que exerça um cargo público. Ron Weiser seguiu a mesma linha, porém, acrescentou que o Partido Republicano era melhor do que aquilo exposto por Regan. Isso não é verdade, de fato, Regan não apresenta um comportamento polido e nem sabe lidar bem com as palavras, talvez os demais republicanos saibam não ser indelicados em meios sociais, entretanto, Regan apenas representa a expressão mais crua acerca do que é a posição da mulher dentro do sistema capitalista.

No Manifesto do Partido Comunista, Marx e Engels (p. 40) já apresentaram de maneira bastante concisa a forma como a mulher é entendida pela burguesia.

“O burguês vê sua mulher como mero instrumento de produção. Ele ouve dizer que os instrumentos de produção devem ser explorados de forma comum e conclui, naturalmente, que haverá comunidade de mulheres. Ele não imagina que, nesse caso, trata-se precisamente de abolir o papel da mulher como simples instrumento de produção.”

Dessa maneira fica bastante clara a razão pela qual Regan diz que a mulher deve aceitar o estupro e tentar aproveitá-lo. Afinal, de pouco importa o interesse ou a dignidade da mulher, para o burguês, ela não passa de um mero instrumento que deve ser explorado de acordo com o que o proprietário deseja. Seja para o abuso sexual, seja para a servidão doméstica.

Certamente devemos seguir denunciando declarações repugnantes e machistas como a de Regan. Ele e seus correligionários devem ser banidos completamente da política, de modo que seus pensamentos reacionários não voltem aparecer. Entretanto, não devemos ater nossas reivindicações para este ponto. O problema central não está na sua grosseria em público, mas sim no sistema capitalista que subjuga a mulher ao mero papel de propriedade. Dessa forma, apenas é possível libertar o conjunto das mulheres trabalhadoras desta situação de degradação lutando contra o sistema que as oprime cotidianamente.

Para tanto, devemos de início combater por medidas de transição que socializem o trabalho doméstico que ainda recai quase exclusivamente sob os ombros da mulher trabalhadora. Algumas destas demandas devem ser creches, restaurantes e lavanderias públicas e gratuitas. A socialização total do trabalho doméstico apenas ocorrerá sob um sistema socialista administrado pelos trabalhadores segundo seus interesses. Portanto, nosso papel enquanto comunistas é lutar pelo fim da exploração humana a fim de que se tenha fim a todo tipo de opressão resultante do sistema capitalista.

  • Abaixo o Machismo! Abaixo o capitalismo!
  • Lutar pelo socialismo, por uma sociedade que liberte a mulher de toda violência e opressão!

Fontes:

Político gera revolta ao dizer que ‘se estupro for inevitável, divirta-se’

Robert Regan, under fire for rape comments, also espoused QAnon, violence

REY, David. O trabalho doméstico é um trabalho “não remunerado”? Como uma premissa teórica falsa conduz a uma posição reacionária na prática. Revista América Socialista 18.

MAX, Karl; ENGELS, Friedrich. Manifesto do Partido Comunista. São Paulo: Expressão Popular.

Deixe Seu Comentário