Nossa luta no PSOL

Mano Brown está certo?

Nesta última terça-feira (23/10), no palanque do chamado Comício da Virada, na Lapa (Rio de Janeiro), num palanque repleto de artistas, entre eles atores conhecidos da televisão brasileira, cantores consagrados, Mano Brown – referência central do rap nacional – fez uma fala que repercutiu por todo o Brasil. Em meio …

Leia Mais »

O PSOL e a frente única para derrotar Bolsonaro

O PSOL teve na eleição presidencial deste ano o pior resultado desde que foi fundado. Em 2006, Heloísa Helena teve 6,5 milhões de votos; Plínio de Arruda Sampaio, em 2010, 886.816 votos; Luciana Genro, em 2014, 1,6 milhão. Guilherme Boulos, agora, somou 617.122 votos. Este resultado é contraditório. O partido …

Leia Mais »

Eleições 2018: O que fazer neste primeiro turno

A imprensa burguesa está fazendo o possível e o impossível para enterrar as manifestações de 29 de setembro e a disposição de luta que lá se expressou. Realizam comparações descabidas com os atos “pró-Bolsonaro” do dia seguinte, que foram dezenas de vezes inferiores, e omitem fatos como as manifestações espontâneas …

Leia Mais »

Quem manda no país

O ex-diretor do Banco Central e sócio fundador da gestora de investimentos Mauá Capital, Luiz Fernando Figueiredo, respondeu a uma pergunta da Folha (Folha de São Paulo, 23/10/18): “Haddad distanciou-se do economista mais heterodoxo do PT e admite a necessidade de ajuste na Previdência. Esses acenos não convencem? É aquela …

Leia Mais »

Morenismo: sectarismo e adaptação

Moreno nasceu em 1924 e morreu em 1987. Aderiu às teses de Trotsky por volta de 1940 e fundou seu próprio grupo – o Grupo Operário Marxista – em 1944. Em 1948 esteve no 2º Congresso da 4º Internacional em Paris. Ele dirigiu uma fração importante na América Latina da …

Leia Mais »

O reformismo e a revolução

Os governos e as derrotas eleitorais da “esquerda” As eleições na Suécia, realizadas no dia 9 de setembro, mostraram um recuo da socialdemocracia e um avanço da extrema direita. Se olharmos bem o mapa europeu, isso aconteceu em quase todos os países. Nos únicos lugares em que houve uma reação …

Leia Mais »

A facada em Bolsonaro, o mercado e o terrorismo individual

Logo depois do atentado contra Bolsonaro, a Ibovespa (mercado de ações) subiu 1,76% e o dólar baixou 0,95%. Ou seja, os investidores consideraram a facada positiva para seus negócios. Segundo os analistas, essa avaliação seria motivada tanto para o cenário de manutenção da candidatura de Bolsonaro, fortalecendo-a, quanto também para …

Leia Mais »