Declaração da Campanha Internacional “Tirem as Mãos da Venezuela” sobre as eleições parlamentares

As eleições parlamentares na Venezuela, que se realizarão em 26 de Setembro, marcarão um ponto de inflexão para a Revolução Bolivariana. Não só é a maioria na Assembléia Nacional que está em jogo, mas o próprio futuro do processo revolucionário.

A Revolução Bolivariana desenvolveu raízes muito profundas no povo venezuelano. Os resultados conquistados por trabalhadores e camponeses, pelos setores mais pobres da cidade e do campo, são bem conhecidos: na educação, saúde, desenvolvimento de infra-estrutura básica, o controle estatal de empresas estratégicas e início de uma reforma agrária.

O exemplo da Venezuela tem inspirado os trabalhadores, camponeses e setores populares da América Latina e em todo o mundo na luta contra a dominação estrangeira, a pobreza e a exploração.

Mas a revolução bolivariana também tem provocado há muitos anos o ataque furioso do imperialismo norte-americano e seus aliados na oligarquia venezuelana que vêem esses avanços sociais como uma ameaça aos interesses dos privilegiados e dos poderosos, e buscam minar o seu alcance e objetivos utilizando todos os meios à sua disposição: A pressão diplomática internacional, uma campanha de mídia implacável de mentiras e calúnias e tentativas de sabotagem da economia venezuelana.

Uma representação importante das forças de direita e da reação na Assembleia Nacional, sem dúvida, será usada como arma para impedir as medidas progressistas impulsionadas até agora, e como um ponto fundamental para organizar o boicote ao avanço da revolução, como vimos outras vezes na Venezuela e países como Honduras, Bolívia, Equador, e ainda mais atrás no tempo, na Nicarágua ou no Chile.

Uma eventual derrota da revolução venezuelana seria usada contra aqueles que sofrem com a dominação e a opressão dos poderosos e lutam por um mundo melhor em todo o mundo. Estimularia os governos e setores reacionários de cada país a reforçar as suas políticas anti-povo, tentando enfraquecer e desmoralizar aqueles que se opõem a seus planos. Por isso é mais necessário do que nunca, e um dever fundamental, que todas as forças progressistas da sociedade: trabalhadores, setores populares da cidade e do campo, a juventude, os profissionais liberais e intelectuais comprometidos com a causa popular, unam suas vozes e esforços na América Latina e internacionalmente para defender a Revolução Bolivariana, para mostrar suas realizações e denunciar as forças obscuras da reacção que tentam acabar com ela.

Entendemos as eleições parlamentares de 26 de Setembro, portanto, como um marco importantíssimo na luta de forças vivas, entre o progresso e a reação, entre o futuro e o passado. Assim, damos nosso total apoio e solidariedade para com os candidatos bolivarianos apresentados pelo PSUV e fazemos um apelo ao povo venezuelano para apoiá-los com o seu voto.

Nós, que assinamos esta declaração chamamos a reforçar as atividades de solidariedade com a revolução venezuelana e nos comprometemos a combater a campanha de mentiras e desinformação dos meios de comunicação e divulgar as realizações do movimento bolivariano. Pretendemos também criar laços de solidariedade entre o povo revolucionário da Venezuela e de seus irmãos de outros países para defender a revolução contra as ameaças internas e externas.

Além disso, em conjunto com o Congresso Bolivariano dos Povos, chamamos a organizar ações de solidariedade em todo o mundo em 17 e 18 de Setembro.

Manos Fuera de Venezuela – Comitê da Venezuela
Manos Fuera de Venezuea – Argentina
Manos Fuera de Venezuela – Bolívia
Tirem as Mãos da Venezuela – Brasil
Manos Fuera de Venezuela – El Salvador
Manos Fuera de Venezuela – México
Hands Off Venezuela – Estados Unidos
Hands Off Venezuela – Canadá

=====================================

Em 26 de Setembro apoiamos a Revolução Bolivariana! A Campanha Internacional “Tirem as Mãos da Venezuela” manifesta seu apoio à revolução bolivariana diante das eleições de 26 de Setembro e, conjuntamente com o Congresso Bolivariano dos Povos, convoca uma jornada mundial de ações de solidariedade para os dias 17 e 18 de Setembro. Assine, divulgue e apóie a Revolução Bolivariana! Diante das eleições à Assembleia Nacional do próximo 26 de Setembro na Venezuela, nós abaixo-assinados queremos manifestar o nosso apoio internacionalista e solidariedade com a Revolução Bolivariana. – Porque tem enfrentado o imperialismo de maneira valente! – Porque tem investido o dinheiro da receita do petróleo para a erradicação do analfabetismo e a extenção da educação a todos os níveis! – Porque tem feito um esforço gigantesco para extender a saúde aos segmentos mais pobres da população com a Missão “Barrio Adentro”! – Porque iniciou um processo de expropriação de latifúndios e de distribuição de terras! – Porque tem enfrentado o monopólio dos meios de comunicação e avançou para a democratização do acesso à mídia! – Porque reverteu o processo de privatização de empresas e serviços públicos e reestatizou alguns que haviam sido privatizados! – Porque ousou ocupar as fábricas abandonadas e colocou-as a produzir sob controle dos trabalhadores! – Porque começou a introduzir o controle operário nas indústrias básicas! – Porque levantou a bandeira do socialismo no século XXI! – Porque uma derrota da revolução significaria um avanço do imperialismo, da oligarquia, dos latifundiários e capitalistas, dos que organizaram o golpe de Abril de 2002! – Porque a revolução ainda não foi concluída! Devido a isso e muito mais, nós apoiamos a revolução bolivariana e os candidatos do PSUV em 26 de Setembro e permanecemos alertas para combater a campanha de mentiras e provocações por parte do imperialismo e da contra-revolução. Primeiras assinaturas no Brasil: Serge Goulart – Direção Nacional do PT Severino Nascimento “Faustão” – Direção Nacional da CUT Álvaro Cardoso de Lima “Bambu” – Direção Executiva Nacional da CNQ (Confederação Nacional dos Trabalhadores Químicos da CUT) Adilson Mariano – Vereador de Joinville-SC pelo PT Roque Ferreira – Vereador de Bauru-SP pelo PT Pedro Santinho – Coordenador do Conselho Operário da Fábrica Ocupada Flaskô José Carlos Miranda – Coordenação Nacional do Movimento Negro Socialista Cynthia Pinto da Luz – Movimento Nacional de Direitos Humanos Maria de Lourdes Coelho “Lourdinha” – Confederação Nacional dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal da CUT Arlindo Belo – Direção Nacional da CNQ (Confederação Nacional dos Trabalhadores Químicos da CUT) Carlos Castro – Direção Executiva Estadual do PT de Santa Catarina Josenildo Vieira de Mello – Direção Executiva da CUT (Pernambuco) Alexsandro Batista – Direção Executiva da CUT (Santa Catarina) Emanuel S. A. Cancella – Secretário Geral do Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro) Verivaldo Mota “Galo” – Direção Executiva do Sindicato dos Trabalhadores Vidreiros do Estado de São Paulo Plínio Baldoni – Direção Executiva do Sindicato dos Ferroviários de Bauru, MT e MS Luciene Cordeiro – Direção Executiva do Sinduprom (Pernambuco) Maico Paixão – Presidente da UJES (União Joinvillense dos Estudantes) Delmo Bussolaro – Presidente do PT de Araquari-SC Ulrich Beathalter – Presidente do Sinserj (Sindicato dos Servidores Públicos de Joinville-SC) Rosângela Soldatelli – ex-Presidente do Sintrasem (Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Municipal de Florianópolis-SC) Clarice Erhardt – Coordenadora Regional de Joinville do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina Milton Zanotto – Diretor do Sinpronorte-SC (Sindicato dos Professores do Norte de Santa Catarina) Ricardo Morais – Diretor do Sindiquímica (Pernambuco) Mirian dos Santos – Direção do Sinteepe e Diretório Municipal do PT de Jaboatão-PE André Olegário – Diretor da UEE-SP (União Estadual dos Estudantes de São Paulo) José Maria S. Nascimento – Direção Executiva do Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro) José Guido – Direção Executiva do Sindicato dos Trabalhadores Vidreiros do Estado de São Paulo José Luis dos Santos “Paraná” – Direção Executiva do Sindicato dos Trabalhadores Vidreiros do Estado de São Paulo Mario Conte – Direção Executiva do Sindicato dos Músicos Profissionais Independentes de São Paulo Francisca Schardeng – Direção Executiva do PT de Joinville-SC Francisco Lanzzarin – Direção Executiva do PT de Garuva-SC Airton Sudbrack – Direção Executiva do PT de Jaraguá do Sul-SC Moacir Nazário – Direção Executiva do PT de Joinville-SC Silvio Durante – Direção Executiva Municipal de Bauru da JPT (Juventude do PT) Caio Dezorzi – Diretório Municipal do PT de São Paulo Adhel Daher – Diretório Municipal do PT de Araçatuba-SP Rafael Prata – Diretório Municipal do PT de Campinas-SP Fabiano Stoiev – Diretório Municipal do PT de Curitiba-PR Alexandre Mandl – Conselho Operário da Fábrica Ocupada Flaskô Raimundo Nilo Mendes – Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro) Fernando Borges Leal – Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro) Andrea Penha – Direção Executiva da AMES (Associação Matogrossense de Estudantes Secundaristas) Vinícius Dantas – Associação de Pós-graduandos da UFSCar (São Carlos-SP) Tiago de Carvalho – Presidente do Centro Acadêmico de Direito da Univille Abdeir Chrispim – Centro Acadêmico de Filosofia – USP Roberta Ninin – Coletivo de Cultura da CUT de São Paulo Ludmila Facella – Ocupação da Coseas da USP (Moradia retomada)
Fábio Ramirez – Juventude Marxista Flávio Almeida Reis – Direção da Juventude do PT (Caxias-RJ)Wanderci Bueno – Jornal Luta de Classes
Elyabe Érik – Vice-Presidente do Grêmio Estudantil do CERU (Condado-PE) Mayara Colzani – Grêmio da Escola Paulo Medeiros (Joinville-SC) Luana Hellmann – Grêmio da Escola Germano Timm (Joinville-SC) Iago Paqui – Grêmio da Escola Tufi Dippe (Joinville-SC) Nicolas Marcos – Grêmio da Escola Presidente Médice (Joinville/SC)
Deixe Seu Comentário