Imagem: Socialist Appeal

Coronavírus: a indústria do cinema e da TV em queda livre

Um dos setores econômicos mais afetados pela pandemia provocada pela Covid-19 foi o da cultura, atingindo diretamente a situação de emprego e salário de milhões de trabalhadores em todo o mundo. Este texto, escrito em março de 2020 e publicado pela seção britânica da Corrente Marxista Internacional (CMI), apresenta alguns dados sobre o impacto da pandemia sobre os trabalhadores de cinema e televisão, tendo afetado inclusive as grandes produtoras de Hollywood.

A indústria do entretenimento está entre aquelas que mais foram afetadas pela paralisia econômica causada pela pandemia. A incerteza prevalece entre os trabalhadores do cinema e da televisão, bem como o futuro do setor que está na balança.

O coronavírus tem mutilado a indústria da televisão e do cinema. Trabalhadores deste setor estão perdendo seus empregos e contratos. A esmagadora maioria dos trabalhadores da televisão e do cinema têm contratos precários – a maioria é freelancer ou autônomo. Dezenas de milhares destes trabalhadores são jogados em um ônibus, quando as corporações e as produtoras se mudam para proteger seus lucros durante os hiatos de filmagem.

De acordo com a American Union IATSE, 120 mil pessoas perderam seus empregos em Hollywood. A BECTU (a União de Radiodifusão, Entretenimento, Comunicações e Teatro no Reino Unido) estimou que 50 mil freelancers na Grã-Bretanha perderam seus empregos. Uma pesquisa realizada pela BECTU estima que 71% luta para sobreviver financeiramente.

Fechamentos

A Netflix pausou todas as suas séries de TV e filmes e fechou todos os escritórios de produção. A Viacom fechou escritórios no mundo todo. Bolywood na Índia suspendeu todas as filmagens. A Paramount pausou as filmagens no último filme da franquia Missão Impossível. A Warner Brothers fechou diversos escritórios e parou as filmagens de Riverdale. A Disney parou as filmagens de The Falcon and the Winter Soldier. A Amazon teve que pausar a série Carnival Row, com a estrela Orlando Bloom em quarentena.

As produções que foram canceladas ou pausadas são inúmeras: Batman, Pequena Sereia, Cinderela, Animais Fantásticos 3, Tailspin & Nevers, Peaky Blinders – sexta temporada, America’s  Got Talent, The Morning Show, The Bachelorette, Chicago P.D., Agatha Raisin, Silent Witness, Emmerdale, Coronation Street, Project Ice Cream, Gold Oldies, 999: on the Frontline, Pennyworth – segunda temporada, Cage Aux Folles, Women on The Force, Atlanta, Fargo. Estes são apenas alguns dos grandes filmes e séries que foram afetados.

A ITV – que geralmente serve de referência para a saúde das produções das televisões independentes no Reino Unido – viu os preços de suas ações caírem pela metade entre dezembro e agora [março de 2020]. Isto mostra a colossal perda de confiança na companhia, pintando uma sombria imagem para o futuro das produtoras independentes. Muitas pequenas companhias não sobreviverão a esta crise.

As produções futuras que tinham sido encomendadas estão sendo canceladas, já que as companhias de seguro não os apoiam mais. Algumas equipes de desenvolvimento têm dito que somente produções baseadas em arquivos têm sido encomendadas por enquanto. Mas, mesmo assim, há longos atrasos para solicitações de arquivo; os setores de arquivos através do mundo estão sendo fechados ou movidos para o trabalho em casa. O BBC Archive (Perivale) anunciou que eles fecharão em breve.

Trabalhadores abandonados

Os governantes através do mundo sabiam que este caos estava chegando. No entanto, eles falharam em planejar com antecedência ou advertir sobre as restrições necessárias. Isto levou a confusão e a desordem na indústria. Os coordenadores e gerentes de produção gastaram a última semana freneticamente tentando trazer suas equipes de filmagens de volta para seus respectivos países; as fronteiras através do mundo se fecharam.

Muitos trabalhadores têm dito que eles não esperam qualquer trabalho até o fim de agosto. Um grupo de trabalhadores dos Pinewood Studios foram informados um fim de semana antes que eles entrariam em um hiato de duas semanas. Pinewood, porém, retroagiu o seu aviso por uma semana para que os empregados recebessem uma semana a menos! Estes trabalhadores, provavelmente, estão agora esperando por meses de desemprego. A ITV está propondo pagar os freelancers mais rapidamente se eles derem um “desconto” em suas faturas, uma prática que eles também usavam em tempos “normais”.

Os indivíduos têm contatado seus bancos para pedir adiamento de suas hipotecas. Outros tem negociado com seus senhorios. Trabalhadores em grupos de apoio têm mostrado como eles estão exasperados com a situação.

Como a maioria das pessoas aqui, eu sou único diretor da minha companhia limitada. Os trabalhos estão sendo cancelados à esquerda, direita e centro. (Para começar, o janeiro e o fevereiro não foram muito movimentados). Eu tenho uma hipoteca e filhos para alimentar. E eu não tenho ideia do que fazer daqui em diante!”

“Eu perdi o meu emprego nos EUA e voei de volta na última sexta. Sem direito a qualquer benefício até junho. Agradeço por ter família aqui. Porém, desde que eu fui infectado tenho que ficar com amigos porque minha mãe tem 60 anos e teve um ataque cardíaco triplo. Eu tenho suficiente para passar as próximas semanas, mas se alguém souber de qualquer emprego por favor me avise”.

Dramaticamente, outro disse:

O último trabalho também foi cancelado agora… Enviando abraços para todos que estão passando pela ansiedade, pânico, depressão e desespero”.

O futuro do cinema e da televisão

A enormidade da crise está só começando a afetar os trabalhadores. Muitos estão apenas processando o que isso significará para nossa indústria. Isto não é como as crises do 11 de setembro ou do vulcão da Islândia, que também abalaram a indústria. A crise atual é maior até mesmo que a de 2008.

A Capital Economics previu que o PIB do Reino Unido pode cair 15% no último trimestre. Em 2008, o quadro equivalente foi uma contração de 6%. Colapsos semelhantes também foram previstos para a economia dos EUA, que é a maior indústria cinematográfica e televisiva no mundo.

O chão está sendo preparado para uma onda sem precedentes de ataques aos pagamentos e condições dos trabalhadores. Tudo, desde as nossas horas de trabalho, férias remuneradas, licença maternidade, horas extras para operadores de câmera estará sob ataque.

Esta será uma severa e profunda crise global. O sistema capitalista já estava à beira do precipício antes do surgimento da Covid-19. O dinheiro da publicidade está sendo puxado para todos os lados. Muitas famílias comuns através do mundo serão incapazes de manter todas as suas assinaturas para Netflix, Amazon Prime, Google Premium, DisneY+, Hulu, NowTV, Sky etc. As seguradoras só darão garantia para as produções mais seguras. Muitas companhias independentes menores provavelmente irão a falência e não atravessarão esta crise.

Os freelancers já estão em uma condição precária. A maioria dos trabalhadores não sabe quanto receberá no fim do ano; quando eles forem pagos. Muitos deste setor lutavam para pagar as contas mesmo antes da paralisia da pandemia.

A maioria dos empregos de mídia no Reino Unido está localizada em cidades com aluguéis caros e altos custos de vida. Muitos freelancers já têm que trabalhar parte do tempo em outros empregos para pagar suas contas. O trabalho da Indústria já está precário há algum tempo. Mas o coronavírus serviu para aumentar todas estas tensões para níveis extremos.

Trabalho ou pagamento integral!

Na última sexta-feira [20 de março], o Chanceler Rishi Sunak prometeu que o governo subsidiaria as empresas pagando 80% dos salários dos trabalhadores, até 2.500 euros por mês, inclusive para aqueles que foram demitidos nas últimas semanas por causa da crise do coronavírus.

Este anúncio foi bem vindo para muitos. Mas enfureceu, e com razão, os freelancers e autônomos que não foram incluídos no pacote do Chanceler. Na realidade, estes trabalhadores (incluindo o autor do texto) não são diferentes de qualquer outro na indústria. Mas fica confuso se alguma destas medidas nos ajudará. Ao invés disso, a proposta dos conservadores deixa todo o poder nas mãos dos chefes, que simplesmente não manterão as pessoas a menos que isto seja lucrativo.

Os trabalhadores precisam se unir contra as injustiças e lançar uma onda de lutas através do movimento dos trabalhadores sob o slogan de “trabalho ou pagamento integral”. A BECTU precisa exigir de ambos, do governo conservador e dos chefes das produtoras:

  • As companhias precisam abdicar dos contratos de curto prazo existentes e pagar aos trabalhadores o valor total que eles assinaram.
  • TODOS os freelancers e trabalhadores autônomos precisam ser incluídos no esquema do governo para cobrir os salários dos trabalhadores.
  • Aumentar o auxílio doença estatutário e fornecer isto a todos os trabalhadores, incluindo os autônomos.
  • Lutar para defender as taxas de pagamento, termos e condições existentes – sem rebaixar os direitos e salários dos trabalhadores!
  • Nacionalizar as grandes produtoras sob o controle e o gerenciamento dos trabalhadores.
  • Fornecer acesso imediato ao Crédito Universal, e o fim de todos as sanções de benefícios.
  • Suspender imediatamente aluguéis, pagamentos de hipoteca e contas de serviços públicos.
  • Nacionalizar os bancos, companhias de água, fornecedores de energia e provedores de internet!

TRADUÇÃO DE JOSÉ GUTERRES

PUBLICADO EM SOCIALIST.NET

Deixe Seu Comentário