Início / Artigos / Brasil | Ver Mais / Wikileaks aponta Wiliam Waack como informante do governo dos EUA

Wikileaks aponta Wiliam Waack como informante do governo dos EUA

Já vimos anteriormente empresas televisivas articulados com a CIA e o governo dos EUA ajudando a dar golpes de estado na América Latina. Isso aconteceu na Venezuela. Eles são mais eficientes que os antigos embaixadores norteamericanos, têm muita audiência junto aos espectadores. Esse Wiliam cobriu a ocupação militar norteamericana no Iraque. 

Os tentáculos da CIA se espalham da Líbia a Honduras, do Iraque ao Jardim Botânico. Se Waack é agente ou não da CIA, creio que jamais poderemos ter certeza, mas, onde tem fumaça tem fogo. O cara não cobriria de graça a guerra e com informações sempre quentes do Estado Maior.
A Wikileaks denunciou documentos onde Wiliam aparece como informante do governo norteamericano.

Blog Brasil que Vai cita documentos sigilosos divulgado pelo site de Julian Assange
O repórter William Waack, da Rede Globo de Televisão, foi apontado como informante do governo americano, segundo post do blog Brasil que Vai – citando documentos sigilosos trazidos a público pelo site Wikileaks há pouco menos de dois meses.
De acordo com o texto, Waack foi indicado por membros do governo dos EUA para “sustentar posições na mídia brasileira afinadas com as grandes linhas da política externa americana”.
– Por essa razão é que se sentiu à vontade de protagonizar insólitos episódios na programação que conduz, nos quais não faltaram sequer palavrões dirigidos a autoridades do governo brasileiro.
O post informa que a política externa brasileira tem “novas orientações” que “não mais se coadunam nem com os interesses americanos, que se preocupam com o cosmopolitismo nacional, nem com os do Estado de Israel, influente no ‘stablishment’ norte- americano”. Por isso, o Departamento de Estado dos EUA “buscou fincar estacas nos meios de comunicação especializados em política internacional do Brasil” – no que seria um caso de “infiltração da CIA [a agência norte-americana de inteligência] nas instituições do país”.
O post do blog afirma ainda que os documentos divulgados pelo Wikileaks de encontros regulares de Waack com o embaixador do EUA no Brasil e com autoridades do Departamento de Estado e da Embaixada de Israel “mostram que sua atuação atende a outro comando que não aquele instalado no Jardim Botânico do Rio de Janeiro”.

Deixe seu comentário

Leia também...

Bolsonaro prepara seu ministério de assalto (sem trocadilhos!)

“Nós, pequenos artesãos burgueses, que trabalhamos com o bom e velho pé-de-cabra, as modestas caixas …

Sem comentários

  1. O William Waack é notoriamente um jornalista com tendências de direita reacionária, fica claro em entrevistas dele, a que mais me chamou atenção foi a entrevista com o Ahmadinejad em que tentava de todas as maneiras ataca-lo, ele é reflexo do que é a rede globo, tal patrão, tal empregado.