Download WordPress Themes, Happy Birthday Wishes
Foto: Contraf

Pelo fim das práticas antissindicais no BB! Campanha de moções!

Nos dias 7 e 8 de junho ocorreu o 29º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil, encontro que definiu a pauta de reivindicações dos trabalhadores, a qual foi em seguida apresentada ao banco e que está sendo debatida nas negociações da campanha salarial em curso.

Porém, o 29º CNFBB ficou marcado pelas práticas antissindicais adotadas pelo BB contra os representantes eleitos da categoria para esse encontro. Foram vários casos em que o banco não respeitou o comunicado das entidades sindicais e não respondeu às solicitações de liberação dos funcionários eleitos, para que participassem do evento. Muitos delegados deixaram de comparecer à atividade por causa dessa ameaça ou, depois que participaram, tiveram os dias descontados.

Houve casos também de recusa da liberação “por conveniência do serviço”, uma desculpa formal para impedir que o representante eleito em plenária sindical pudesse exercer seu mandato livremente. Isso configura uma interferência no direito à liberdade de organização, representação e liberação sindical, garantido no artigo 9° do Regulamento da Representação Sindical de Base (Anexo aos ACT-2016/2018 CONTRAF; Cláusula Quinquagésima Terceira, ACT-2016/2018 CONTRAF – Dirigente sindical).

Tais casos foram relatados no 29º Congresso e motivaram a votação unânime de uma moção de repúdio e o compromisso da Comissão Nacional de Empregados do BB (CNEBB) em tentar negociar uma solução com o banco.

Um dos bancários que sofreu desconto salarial de dois dias na folha de pagamento de julho é o camarada Rafael Prata, militante da Esquerda Marxista, trabalhador lotado na unidade PSO de Campinas/SP.

As ausências desses trabalhadores foram classificadas pelo código “308 – falta não abonada, não justificada”, como se eles simplesmente tivessem deixado de comparecer ao serviço sem alegar motivo algum, quando na verdade já haviam comunicado com antecedência que estariam presentes num evento sindical de suma importância para todos os mais de 90 mil bancários do Banco do Brasil.

Os pedidos de reclassificação das ausências, portanto de reversão do desconto salarial, feitos pela CNEBB, por entidades sindicais e pelos próprios trabalhadores, não foram atendidos até o momento. Por isso, lançamos uma campanha de moções (modelo abaixo) visando a manifestação de solidariedade aos trabalhadores atingidos por essa medida e pelo fim das práticas antissindicais no BB.

Enviar a moção para:

À Diretoria de Pessoas do BB:
dipes@bb.com.br

À PSO Campinas:
pso7850@bb.com.br

Com cópia para a coordenação da campanha:
coletivobancariosdeluta@gmail.com

Venho por meio deste e-mail solicitar a reclassificação das ausências dos dias 7 e 8 de junho de 2018 de todos os funcionários eleitos delegados ao 29º Congresso Nacional dos Funcionários do Banco do Brasil (CNFBB) que tiveram esses dias descontados em folha de pagamento, entre eles, o bancário Rafael Prata de Campinas/SP.

Esses trabalhadores foram legitimamente eleitos para representar os mais de 90 mil bancários do BB num encontro sindical de suma importância, que definiu a pauta de reivindicações dos funcionários e, portanto, não podem ser punidos por lutarem em defesa de todos.

Descontar o salário desses trabalhadores por eles terem participado do 29º CNFBB atenta ao direito à liberdade de organização, representação e liberação para atividade sindical, previsto inclusive em Acordo Coletivo de Trabalho.

Por liberdade e independência sindical!

Pelo fim das práticas antissindicais no BB!

Contra o desconto salarial dos representantes eleitos pela categoria!

Reclassificação das ausências, já!

ASSINAR: NOME – ESTADO/CIDADE – QUALIFICAÇÃO (onde estuda ou trabalha, se participa de entidade sindical, estudantil, movimento social, organização política, etc.)

Deixe Seu Comentário
x

Confira Também

Nota de repúdio ao ataque contra militante do PSOL de Guarulhos

O PSOL SP divulgou um grave fato ocorrido no dia 16/7, quando a militante do ...