Início / Artigos / Liberdade para os presos políticos do Irã!

Liberdade para os presos políticos do Irã!

No Irã, os trabalhadores e os jovens combatem o regime dos Aiatolás. Jamal Saberi é um militante comunista do Irã que foi preso no Japão por denunciar e organizar atividades contra o regime repressor e corre o risto de ser deportado para o Irã e executado

O ativista iraniano, comunista de longa data, Jamal Saberi, que vive no exílio no Japão corre risco de ser deportado de volta ao Irã, onde ele poderia enfrentar a execução. 31 de março foi declarado um dia de protesto em apoio do seu pedido de asilo. Organize atos em frente à embaixadas e consulados japoneses, e adicione a sua voz ao protesto.

O nome Jamal Saberi é conhecido por muita gente, especialmente no Irã e Japão. Ele é um refugiado iraniano que vive no Japão há anos e é conhecido como um ativista incansável comunista que lutou contra a República Islâmica e racistas, contra as políticas anti-imigrantes do estado japonês.

A determinação e as qualidades pessoais de Jamal são exemplares de um comunista. Ele, na medida em que o autor sabe, é o único membro do Partido dos Trabalhadores Comunistas do Irã no Japão, mas, sozinho, conseguiu organizar, por exemplo, dezenas de comunistas e ativistas japoneses para manifestações em frente à embaixada da República Islâmica, em Tóquio. Ao mesmo tempo, ele tem sido um lutador incansável pelos direitos dos refugiados no Japão e seu caso é muito conhecido entre os japoneses, que continua a pedir asilo político contra um governo que parece não ter a intenção de conceder-lhe qualquer benefício.

É por isso que foi surpreendente e, ao mesmo tempo não é surpreendente, quando ouvimos que ele está sendo deportando pelo Ministério da Justiça do Japão para o Irã, onde ele correria o risco, imediato, de enfrentar, nada mais nada menos, do que sua execução.

É surpreendente, porque não se pode acreditar como é vergonhosa a atitude do governo japonês e como ela pode se atrever a escolher um major, conhecido ativista do anti-regime, para a deportação à República Islâmica… e isto depois das pessoas em todo o mundo terem visto, ao longo dos últimos meses, como este regime sangrento lida com os seus adversários revolucionários (especialmente os membros dos grupos comunistas).

Por outro lado, não é surpreendente porque o estado japonês parece estar plenamente consciente do fato de que este é um processo essencial e, portanto, quer se livrar de Jamal para que isso seja uma vitória contra os bárbaros, e fortaleça o sistema anti-trabalhador de imigração no Japão. Eles parecem estar concordando com este negócio escandaloso com a República Islâmica, enquanto eles podem se livrar de um ativista comunista!

Por isso, é importante lutar pela liberdade de Jamal e sua imediata saída da prisão. Hambastegi, a Federação Internacional de Refugiados iranianos, declarou 31 de março como um dia de ação global contra as políticas de imigração japonesa e pela liberdade de Jamal. As pessoas vão se reunir em frente às embaixadas e consulados japoneses em 31 de março e expressar a sua forte oposição ao tratamento do governo japonês de refugiados, que é uma forma de dividir a classe trabalhadora entre “nativos” e “imigrantes”.

Você irá encontrar informações mais detalhadas sobre esta campanha aqui, onde você também encontrará informações sobre como obter cartas de protesto às autoridades japonesas.

Apelamos a todos os nossos apoiadores para acrescentar a sua voz à esta campanha e contribuir para a liberdade do Jamal, impedindo a sua expulsão e ganhando o estatuto de refugiado que ele vem buscando há anos, como o primeiro passo para uma luta da classe trabalhadora contra o racismo e as leis de imigração do Estado japonês.

Leia também...

França em “estado de insurreição” enquanto avançam os Coletes Amarelos

Os protestos dos Coletes Amarelos (Gilets Jaunes) na França estão em um momento decisivo. Ante …

Deixe uma resposta