Download WordPress Themes, Happy Birthday Wishes

Cefet/RJ: intervenção é desmascarada pelos estudantes

Liberdade e Luta – RJ

Após ter sido expulso pelos estudantes no dia 19 de agosto, o interventor nomeado pelo MEC para a direção-geral do Cefet/RJ chegou de surpresa no Cefet/RJ ontem, dessa vez chegou a acessar o gabinete da Direção-Geral e convocar uma reunião com todos os professores coordenadores do médio-técnico. Porém, imediatamente os estudantes secundaristas se organizaram, ocupando a saída do gabinete e gritando as palavras de ordem de “Fora interventor” durante toda a manhã e tarde. Os professores, que haviam convocado assembleia para o fim da manhã, também se juntaram à luta.

Ao longo da tarde a quantidade de alunos e servidores no ato foi crescendo e os professores que estavam na reunião com o interventor foram impossibilitados de sair, para impedir que os estudantes entrassem e ocupassem o gabinete. Após horas de pressão e mobilização dos estudantes, o interventor chamou a polícia militar, que chegou a acessar o campus Maracanã e propor a convocação do batalhão de choque.

Após horas de espera e diante da irredutibilidade do movimento, o interventor foi obrigado a ceder e se dirigiu ao auditório para prestar esclarecimentos aos estudantes sobre a intervenção na instituição, passando por um corredor de alunos e servidores gritando “PELO CEFET EU DIGO NÃO À INTERVENÇÃO”. 


Com o auditório lotado, os estudantes deram uma aula de organização, fazendo uma verdadeira sabatina. Eles questionaram o interventor sobre o caráter político da nomeação de um pro tempore de fora do Cefet (assessor diretor do Ministro da Educação), perguntaram por que as supostas denúncias que o MEC afirma estar investigando estão correndo em sigilo (sem ampla divulgação para a comunidade), confrontaram o interventor sobre a postagem do Ministro da Educação na semana passada que afirmou estar “desaparelhando o Cefet”, exigiram que haja a indicação expressa de um prazo para a nomeação do candidato eleito e denunciaram as práticas autoritárias do interventor sobre técnico-administrativos e professores da instituição.

Os estudantes, em sua maioria secundaristas, comandaram a reunião do início ao fim, e diante das respostas vagas e inconclusas do interventor, finalizaram o ato com a promessa de seguir mobilizados durante a semana, divulgando novos atos contra a intervenção.

Fora Interventor! 

Fora Bolsonaro!

Deixe Seu Comentário
x

Confira Também

A autonomia imaginária das universidades

O princípio da autonomia das universidades está inscrito na Constituição de 1988, mas, na prática, ...