Chávez recebe contundente apoio popular após expulsar embaixador dos EUA

Em um ato massivo, em frente ao Palácio Miraflores em Caracas, o presidente venezuelano afirmou: “não tenho dúvidas que o império americano está por trás do golpe de Estado revelado nas últimas horas”.
Por isso, anunciou que o embaixador dos EUA na Venezuela, Patrick Duddy, “tem 72 horas para abandonar o país”. Em cadeia nacional, o presidente disse ainda que “não haverá outro embaixador americano no país até que se instale um governo que comece respeitando a dignidade da Venezuela e da América Latina”.
Ao mesmo tempo, mandou trazer de volta o embaixador venezuelano em Washington, Bernardo Alvarez, “antes que o tirem de lá”.
O presidente também afirmou que já há vários detidos por envolvimento em um plano de magnicídio, que militares venezuelanos, da ativa e aposentados, preparavam contra ele.
A medida também foi entendida como ato de solidariedade com o governo Evo Morales da Bolívia, que se encontra ameaçado pelas recentes manifestações fascistas desencadeadas pela oligarquia boliviana, com apoio do embaixador americano naquele país, Philip Goldberg (expulso ontem pelo presidente Morales).
Chávez disse que “o governo Bush está por trás de todas as conspirações contra nossos povos” e advertiu que “defenderemos a unidade de nossos povos até as últimas conseqüências”.“Há muita gente na rua e isso é uma pequena demonstração da atitude alerta que tem nosso povo, por isso, convençam-se, ianques, de nunca mais voltar à Venezuela”!
Deixe Seu Comentário