Foto: Romerito Pontes

Capitalismo e desemprego

Artigo publicado no jornal Foice&Martelo Especial nº 13, de 20 de agosto de 2020. CONFIRA A EDIÇÃO COMPLETA.

No dia 14 de agosto o IBGE divulgou a edição semanal da Pesquisa por Amostra de Domicílio (Pnad) Covid-19. Esta pesquisa demonstrou que na última semana do mês de julho a taxa de desocupação no Brasil atingiu o percentual de 13,7%, o que corresponde a 12,9 milhões de pessoas desempregadas. Segundo o mesmo Instituto, no mês de maio deste ano era de 9,8 milhões o número de pessoas desempregadas. Ou seja, no período de três meses 3 milhões de pessoas perderam o emprego.

Mas os números são ainda mais trágicos se forem considerados os desalentados, ou seja, aquelas pessoas que desistiram de procurar emprego, hoje na casa de 5,8 milhões, bem como os trabalhadores informais, sem carteira assinada. Aliás, o número de trabalhadores informas é muito próximo do número de trabalhadores com carteira assinada, algo em torno de 30 milhões.

EXCLUSIVO PARA ASSINANTES. CONTINUE LENDO.

 

Deixe Seu Comentário