Aulas presenciais, só com vacinas para todos!

No momento em que é noticiado um grande número de casos e mortes por Covid-19, os governos anunciam o retorno às aulas presenciais. É público e notório que nenhum dos governos (federal, estaduais e municipais) foi capaz de combater a pandemia. Não houve a garantia de isolamento social para a maioria dos trabalhadores, não houve o investimento necessário para garantir a vida e a saúde da população em geral. Na tentativa de salvar a economia, insistem em uma normalidade que não existe. Não podemos admitir uma normalidade com base em milhares de vidas perdidas, enquanto os capitalistas lucram bilhões.

Não há justificativa para a volta às aulas presenciais neste momento, pois sabemos que o ambiente físico das escolas não permite o distanciamento, as salas de aula não são arejadas e o comportamento social de jovens e crianças não respeita esse limite. Apesar das crianças e adolescentes desenvolverem menos a doença, eles são vetores de transmissão, o que pode aumentar o número de mortes da população. A infraestrutura das escolas exigida para o retorno seguro não se resume à compra de álcool em gel, sabonetes e termômetros.

De acordo com especialistas, a contaminação se dá, principalmente, pelo ar (gotículas e aerossóis), o que implica maior probabilidade de contágio em ambiente sem ou com pouca ventilação. Logo, as salas de aulas são ambientes propícios à disseminação do novo coronavírus. Não há protocolos 100% seguros e não há garantia de cumprimento dos protocolos.

Temos que repudiar e resistir à abertura das escolas, pelas nossas vidas, de nossos estudantes e familiares. Os governos têm que decretar o isolamento total, têm que implementar uma renda básica para as famílias poderem ficar em casa, garantir os empregos e renda. Se a preocupação do governo é com o pedagógico, ele deve dar os meios para os estudantes estudarem em casa, como insumos eletrônicos e internet gratuita. Além disso, deve reabrir os leitos, hospitais públicos e Unidades de Pronto Atendimento (Upas) fechados, fazer testes em massa para acompanhar os novos casos e fazer sua vigilância.

É obrigação dos sindicatos organizar a luta e mobilizar todos os trabalhadores contra as aulas presenciais sem vacina para todos. Não resolveremos isso com ofícios e reuniões de gabinete. Precisamos de ações concretas de mobilização e luta. A segurança sanitária só virá com o fim da pandemia, e isso passa, obrigatoriamente, pela vacinação de toda a população.

  • Aula presencial só com vacina para todos;
  • Direito ao isolamento social para todos os trabalhadores em educação e a todos os estudantes;
  • Direito à educação remota com exigência de internet, computadores e todas as condições necessárias, inclusive de reforço escolar digital individual.
Deixe Seu Comentário