Ato em solidariedade a Mariana Ferrer, em Vitória

No dia 7 de novembro, às 15h, o movimento Mulheres Pelo Socialismo ES/MG fez sua primeira aparição pública — na Praça Araceli, em Jardim Camburi — em repúdio a sentença do estuprador de Mariana Ferrer, reafirmando que “estupro culposo” não existe.

As camaradas mulheres tomaram a frente da organização, fazendo inicialmente uma plenária introdutório com os motivos de estarmos ali e a importância do nosso movimento. O debate ali feito tocou em diversos pontos, como a posição da mulher perante julgamentos como o de Mariana, a violência da Justiça burguesa em relação ao corpo feminino e os ataques machistas vividos nos últimos anos, que levam a resistências.

O evento contou com a participação de André Moreira, candidato a vereador pelo Psol, que comentou um pouco sobre a parte jurídica do caso em questão. Além disso, foi discutido a questão da classe como condição de divulgação das violências, já que são observados diversos casos, como o citado acima, que não são repercutidos na mídia: todo dia uma mulher é espancada, calada e subjugada, mas isso não chega a público.

O local escolhido não foi atoa: Araceli Cabrera Sánchez Crespo foi uma criança brasileira assassinada em 18 de maio de 1973, em Vitória-ES. Seu corpo foi encontrado somente 6 dias depois, desfigurado por ácido e com marcas de violência e abuso sexual. O processo, depois do julgamento e absolvição dos acusados, foi arquivado pela Justiça e segue sem solução até hoje.

O ato recebeu apoio com buzinadas de vários carros que passaram no local. Seguimos a luta contra. As mulheres e homens presentes deram vida e luz ao propósito da manifestação: abaixo a violência contra a mulher! Abaixo o Estado capitalista e sua Justiça! Cadeia para estupradores! Reverter as situações na rua!

Deixe Seu Comentário