As tarefas revolucionárias da Liberdade e Luta

Toda a nossa geração olha para frente e só consegue ver um futuro de guerras, fome, refugiados, drogas, violência, desemprego, miséria, preconceito e opressão que o capitalismo impõe a toda a humanidade. Os jovens de hoje não podem aceitar isso como se não houvesse alternativa. É inevitável que cada vez mais jovens se lancem no caminho da revolução. Nós oferecemos, nos núcleos da Liberdade e Luta, um espaço para organizar sua indignação e expressar sua ousadia e criatividade.” (Manifesto da Liberdade e Luta)

A repetição do “Carnaval Fora Temer” nos deu mais um exemplo da disposição de luta da juventude e da classe trabalhadora brasileira e da sua rejeição às reformas do governo Temer e ao Congresso Nacional. Mas esse fenômeno de rejeição ao status quo é mundial e um belo exemplo acaba de ser demonstrado pelas mulheres e homens espanhóis que foram às ruas no 8 de março dando um caráter inteiramente classista nesse dia através de uma greve geral que foi “quase uma revolução”.

Diante dessa conjuntura explosiva a Liberdade e Luta (LL) atua. A Reforma do Ensino, a Lei da Mordaça, os aumentos de mensalidade nas universidades privadas, o sucateamento das escolas e universidades públicas são problemas reais que afetam diretamente a juventude, que precisam e podem ser combatidos. A luta de jovens e trabalhadores ao redor do globo, os milhares de refugiados que fogem da guerra merecem a nossa solidariedade e apoio.

A Liberdade e Luta retomou a luta em 2018 com esse objetivo, de canalizar esse sentimento de mudança e de organizar a mobilização contra todos os ataques. Iniciamos o ano realizando um Acampamento Revolucionário, seguido de atividades de formação sobre a importância do maio francês de 1968 e recepcionamos os estudantes que retornaram para o ano letivo.

Um espaço para organizar sua indignação

De agora em diante, a LL irá organizar seus núcleos nas escolas, universidades e bairros onde devemos levar nossas campanhas por “Educação Pública, Gratuita e Para Todos” e “Contra a Lei da Mordaça” e impulsionar a construção de Sindicatos de Estudantes, as entidades de base que representarem os estudantes em cada local de estudo. Através dos núcleos, organizaremos também panfletagem nas fábricas para dialogar com os trabalhadores, atividades de formação política, grupos de discussão, manifestações, etc.

Chamamos todos os jovens estudantes e trabalhadores que queiram organizar sua indignação, expressar sua ousadia e criatividade para construir um mundo novo, um mundo sem guerras nem exploração. Venha lutar pela revolução, faça parte da Liberdade e Luta.

Deixe Seu Comentário